(Fonte da imagem: iStock)

Você pode até achar que ninguém se lembrava dele, mas recentemente o Orkut foi palco de um crime digital, no Paraná. Um aluno da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) decidiu criar um perfil falso na rede social para se passar por um professor da mesma instituição. Quando a vítima soube que estava sendo prejudicada por outra pessoa, acionou o Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber) para que providências fossem tomadas.

Como relatado na matéria publicada no site da rádio Banda B, o Nuciber pediu a quebra do sigilo da conta falsa à Google, que conseguiu rastrear o IP utilizado pelo agressor e, assim, chegou até ele. Caso o professor decida levar o caso adiante, o aluno que criou o perfil falso pode responder criminalmente pelo feito – o que envolve a possibilidade de punições reais.

Como não se trata de um crime grave – o perfil falso era utilizado apenas para espalhar informações falsas, mas sem muita relevância –, o agressor pode ser condenado a pagar cestas básicas ou prestar serviços comunitários. Ainda não foi revelado se o caso será levado adiante ou se o “falsificador” ficará apenas com a advertência. Também não foram reveladas as medidas da UTFPR no caso.

Fonte: Banda B

Cupons de desconto TecMundo: