Não pague ransomware: o mercado do crime virtual gera bilhões de dólares anualmente pelo mundo. Estamos falando de US$ 400 bilhões, segundo a Norton. Apenas no Brasil, em 2016, esse número foi US$ 32 bilhões. Exatamente por isso, podemos afirmar que o cibercrime é um mercado vivo.

Uma das ferramentas que puxa boa parte desse dinheiro é o ransomware, que invade a máquina da vítima, sequestra os arquivos via criptografia e exige uma quantia de dinheiro em bitcoin para liberação dos documentos, vídeos, fotos, senhas e tudo mais que há na máquina.

O mercado de crimes virtuais gera US$ 400 bilhões por ano — e esse número deve aumentar

Recentemente, um dos exemplos de ransomware e como a ferramenta pode ser periculosa é o WannaCrypt, conhecido vulgarmente como WannaCry. Em pouco mais de um dia, o malware atingiu e infectou mais de 250 mil máquinas em 150 países — entre esses computadores, estão hospitais, clínicas, bancos, empresas de todos os tamanhos e até tribunais de justiça.

O cenário próximo também não é positivo: o mercado do cibercrime deve crescer e os ataques vão aumentar. "Nos próximos anos, certamente veremos a explosão do número de elementos conectados. Bombas de insulina, cardioversores, marca-passos estarão conectados. Aceleradores e pilotos-automáticos de automóveis, controles de casa como aparelhos de ar-condicionado e fogões também. Teremos mais oportunidades para invasões e certamente os criminosos vão aproveitá-las para fazer dinheiro”, comenta André Miceli, professor do MBA de Marketing Digital da Fundação Getulio Vargas, sobre o aumento de gadgets na Internet das Coisas. 

O que vale é a máxima da prevenção. Manter backups seguros de tudo que possui online, utilizar a nuvem para vários fins e ter, no mínimo, um bom antivírus são alguns dos pontos. Porém, se você mesmo assim teve o seu computador infectado por ransomware, não pague bitcoins aos cibercriminosos e não alimente esse mercado. Existem ferramentas e especialistas em segurança para lhe ajudar.

A versão 2.0 está chegando

Ferramentas

Entre as ferramentas disponíveis atualmente para você driblar o ransomware, está a WannaCry File Restorer, desenvolvida pela Telefónica para combater o último grande ataque que ainda infecta computadores conectados com sistemas Windows XP, Server 2003 e Vista.

O WannaCry File Restorer é um script do PowerShell e vai ajudar você a recuperar e resturar os arquivos trancados. Ele ainda está na versão Alpha, mas você pode conferir mais sobre ele aqui — para um vídeo explicativo, clique aqui

WannaCry File Restorer e Wanakiwi são boas soluções rápidas para o combate

Outra ferramenta se chama "Wanakiwi", já conhecida como WannaKey e desenvolvida pela Comae Technologies. Essa ferramenta permite que o usuário tenha capacidade de extrair a chave que descriptografa os arquivos trancados. O WannaKey foi validado pela própria Europol, agência de segurança da União Europeia.

  • Você pode saber mais detalhes, principalmente sobre como usar o WannaKey, clicando aqui

Além disso, empresas sérias que combatem o crime virtual, como a Norton, Kaspersky, McAfee, AVG, Avast e Trend Micro possuem as próprias ferramentas para descriptografar arquivos de ransomwares variados. Por isso, vale a pena checar essas soluções.

Por isso, se lembre sempre do seguinte: pagar ransomware não é uma opção. Para mais dicas e notícias de crimes virtuais, acompanhe essa página.

Cupons de desconto TecMundo: