Empresas que não podem perder a conexão usam a internet dedicada. (Fonte da imagem: Reprodução/Synthorchestra)

Sim, nós já sabemos: para que o mundo virtual possa ser acessado, uma conexão com a internet precisa invariavelmente existir. E, diga-se de passagem: esse preceito é tão básico que até o mais avesso ao tecnicismo do mundo da tecnologia o conhece de antemão. Ainda assim, algumas dúvidas por vezes azucrinam a comunidade online, gerando confusões que podem, se não esclarecidas, criar problemas a pequeno e médio prazo...

Que tipo de conexão usar? Por que a internet fica marchando a passos lentos nos períodos em que a maioria das pessoas não trabalha? Para entender as respostas dessas questões, é preciso saber diferenciar, portanto, o que se concebe por internet dedicada e internet compartilhada. Acompanhe a seguir uma breve explicação que, apesar de bastante objetiva, traz as principais diferenças relacionadas ao tema aqui discutido.

“Compartilhai a rede online, ó internautas!”

Então você chega em casa e, depois de um tedioso e cansativo dia de trabalho, decide checar as suas redes sociais. Para acompanhar a navegação, nada melhor que acessar o YouTube e ativar uma lista de reprodução com as suas músicas favoritas. De repente, tudo trava. O Facebook não publica mais as suas atualizações e os vídeos, que outrora rodavam tranquilamente, estão mudos.

Não o culpe; o caminho até o provedor do sinal de internet é tortuoso... (Fonte da imagem: Divulgação/D-link)

Se isso acontece com você, certamente a sua conexão é compartilhada. Isso quer dizer, grosso modo, que o seu computador está conectado “indiretamente” a um provedor de internet por meio de uma “conexão comunitária” (disputada por inúmeros usuários). Têm-se, desta forma, dois “polos”: os residenciais e empresariais que fazem uso comum de uma mesma conexão, de um lado, e o provedor do sinal de internet, do outro.

Para entender melhor o funcionamento da internet compartilhada, voltemos à situação sugerida acima; mas pensemos, agora, no inverso. Quando você está fora de casa (em pleno horário comercial), o sinal da internet melhora – isso se deve à quantidade reduzida de usuários que “comungam” de uma mesma conexão. Podemos pensar também em um tipo de balanço entre as vantagens e desvantagens de se ter uma conexão compartilhada:

Vantagens:

  • Baixo custo; e
  • Rápida ativação (basta contratar o serviço que, logo, ele é instalado).

Desvantagens:

  • Sinais instáveis (oscilações de downloads e uploads);
  • Quanto mais usuários conectados, mais lenta vai ser a conexão; e
  • Velocidade integral contratada dificilmente disponível durante o uso do sinal e restrita, geralmente, a 10% do total inicialmente tratado.

Na compartilhada, diversos usuários usam um mesmo caminho até o provedor. (Fonte da imagem: Reprodução/4.bp)

A internet compartilhada é o tipo de conexão mais comum usado atualmente. Usuários comuns, que não trabalham o dia todo logados, ou até mesmo profissionais, que não dependem de uma estabilidade inquebrável de sinal para trabalhar, por exemplo, “disputam” dia a dia o sinal oscilante dos provedores de internet.

“Mas dedicai-a para uma ligação direta com o provedor...”

Neste tipo de conexão, uma “pista direta, sem desvios de percurso e sem obstáculo algum para atrasar o trânsito” é que liga o seu computador ao provedor. Isto é, em vez de dividir o sinal com uma grande quantidade de pessoas, você terá acesso direto aos serviços de distribuição de internet. O link dedicado, como se pode bem deduzir, é utilizado de forma capital por empresas que não podem, sob hipótese alguma, contar com instabilidades de sinal.

Nesta, o usuário fica conectado diretamente ao provedor. (Fonte da imagem: Reprodução/Mytrainee)

Para que o uso deste tipo de internet possa ser feito, é preciso contatar uma empresa especializada nesse tipo de serviço; uma equipe técnica vai estudar a viabilidade de instalação e determinar a configuração de banda mais adequada às necessidades do contratante. De acordo com pesquisa publicada pela IDC (International Data Corporation), por exemplo, 46% das companhias com mais de 250 funcionários têm planos para migrar o tráfego para outras tecnologias (como a internet dedicada) nos próximos dois anos.

Vantagens:

  • Estabilidade de sinal;
  • Garantia de velocidade contratada; e
  • Viabilização de serviços mais baratos de telefonia via VoIP.

Desvantagens:

  • Alto custo; e
  • Instalação e manutenção complexas.

(Fonte da imagem: Reprodução/Twistedsifter)

Em ambos os casos (internet compartilhada e dedicada), o serviço é disponibilizado em bps (bits por segundo). Cabe, então, ao usuário do serviço definir qual plano se adéqua melhor às suas necessidades.

Cupons de desconto TecMundo: