O Stonehenge — localizado na Inglaterra — é um dos grandes mistérios da humanidade. Afinal de contas, quem teria levado aquelas imensas pedras até o local em que elas estão? Mais do que isso: por quê? As respostas para isso ainda estão muito longe de serem conhecidas — se é que algum dia serão —, mas agora cientistas podem ter encontrado novas dicas para tentar solucionar o caso histórico.

Pouco mais de três quilômetros para o nordeste de onde está o Stonehenge, cientistas descobriram outra disposição rochosa milenar. Isso aconteceu em um local chamado de Durrington Walls, que é composto basicamente por inclinações com vegetais e algumas poucas árvores de divesas estaturas e espécies. Mas abaixo do nível que pode ser visto está algo bem interessante.

Utilizando uma "tecnologia de prospecção e sensibilidade remota geofísica não-invasiva" — radares de inspeção geofísica, simplificando —, os cientistas puderam localizar uma grande quantidade de pedras. Nada foi escavado até o momento, mas já se sabe que são cerca de 90 rochas a pelo menos um metro de profundidade. Cerca de 30 delas passam dos 4,5 metros de altura e permanecem intactas.

No vídeo que você pode ver no topo da notícia está uma simulação de como poderia ser a instalação original. O que ainda não se sabe é se serão feitas escavações em busca de respostas ou se as hipóteses de ligação entre o novo local e Stonehenge ficarão apenas no campo teórico.

Cupons de desconto TecMundo: