Se você já assistiu à animação “Operação Big Hero”, então está familiarizado com o conceito de robôs macios feitos para lidar com situações delicadas, como procedimentos médicos. O que pouca gente imagina é que, embora ainda não exista um Baymax totalmente funcional, já há cientistas que estão tentando unir equipamentos robóticos suaves à miniaturização para axiliar no aprimoramento da medicina.

Esse é justamente o caso de uma equipe de cientistas da Iowa State University, nos EUA, que criaram um pequeno robô na forma de tentáculo capaz de “pegar” objetos tão pequenos e delicados quanto uma formiga sem o risco de os esmagar. “A maioria dos aparatos robóticos usam dois dedos e têm que espremer as coisas para pegá-las, mas esses tentáculos se enrolam ao redor [dos objetos que desejamos segurar] muito suavemente”, diz o professor Jaeyoun Kim.

As máquinas minúsculas são feitas de microtubos constituídos de um material chamado PDMS, um elastômero transparente que, quando sólido, possui uma consistência emborrachada. Cada tentáculo é oco e tem 8 mm de comprimento e menos de um centésimo de polegada de largura. Usando uma bomba para controlar a pressão que o ar faz sobre as paredes internas assimétricas do dispositivo, os cientistas conseguiram fazer com que ele se enrole quando desejarem.

Cirurgias envolventes

De acordo com Kim, os microtentáculos robóticos podem ser usados para aplicações médicas, já que o fato de eles serem macios, pequenos e seguros permite “prender” objetos minúsculos sem apertá-los. Dessa forma, o funcionamento do equipamento impedirá que ele cause danos a nervos, vias sanguíneas e quaisquer tecidos durante cirurgias, por exemplo.

Cupons de desconto TecMundo: