Estudantes da Universidade de Drexel, nos EUA, liderados por Michael Ghidiu e Maria Lukatsaya, fizeram uma descoberta que pode mudar a forma como usamos baterias no futuro. Com os íons de lítio deixados de lado, a mudança poderá vir na argila.

A pesquisa revelou que é possível fabricar um material com as características de moldabilidade e flexibilidade da argila, além da capacidade de conduzir eletricidade. Para chegar ao resultado, o material orgânico foi composto por uma mistura de partículas de carbeto de titânio (como o grafeno ou molibdenita) e teve sua espessura reduzida em uma simples ferramenta de fazer massa de pastel.

Como um filme condutor, a argila pode transformar o processo da fabricação de materiais para produzir eletrodos das baterias, isso se produzida em larga escala.

"Tenha em mente que esta é a primeira geração do material que estamos testando. Nós não fizemos nada para melhorar sua capacidade e, com 900 F/cm3, ela já está mostrando uma capacitância por unidade de volume maior do que a maioria dos outros materiais", explica Lukatskaya. "Também estamos relatando que ela não perde nada da sua capacidade depois de mais de 10 mil ciclos de carga/descarga, de modo que estamos falando aqui sobre um pedaço de argila muito especial".

O vídeo acima mostra como esse processo é feito. O material orgânico ainda pode ser dissolvido como tinta e aplicado sobre qualquer superfície. Já imaginou as possibilidades?

Cupons de desconto TecMundo: