(Fonte da imagem: Reprodução/Phys.org)

Hoje em dia, para que você possa visualizar objetos através de sua temperatura, é necessário possuir equipamento que consiga ler raios infravermelhos. Agora, surgiu uma possibilidade de que, no futuro, até mesmo simples lentes de contato possuam essa capacidade, graças ao uso especial de grafeno.

Cientistas da Universidade de Michigan desenvolveram um detector de temperatura que consegue identificar o espectro inteiro de cores de raios infravermelhos. Esse detector é compacto o suficiente graças ao uso de grafeno, uma das formas cristalinas do carbono e que consegue ter a espessura de um átomo.

Até o momento, as formas conhecidas de grafeno não serviam muito para detectar luz infravermelha pelo simples fato de ele ser muito fino, mas os cientistas da Universidade de Michigan bolaram um método que muda tudo.

Uma camada isolante é colocada entre duas folhas de grafeno. A camada inferior conta com uma corrente elétrica. Quando a luz atinge a camada superior, ela libera elétrons, criando buracos carregados positivamente. Então, os elétrons passam pela barreira isolante e vão até a camada inferior.

Os buracos da parte superior acabam criando um campo elétrico que afeta o fluxo de eletricidade da camada inferior. Por causa dessa mudança, o time de pesquisadores conseguiu diminuir o brilho da luz que atinge o grafeno.

O método parece complicado (e realmente é), mas, com ele, é possível que os detectores de imagens possam ser aplicados em pequenos objetos, como as lentes de contato comuns.

Cupons de desconto TecMundo: