Com a descoberta de tantos objetos transitando próximo ao nosso planeta — sem contar a passagem do asteroide 2012 DA14 e a queda de um meteorito na Rússia na semana passada —, é normal que os cientistas se preocupem em desenvolver formas de evitar possíveis (e potencialmente mortais) impactos.

De acordo com o site gizmag, pesquisadores norte-americanos estão trabalhando no desenvolvimento de um novo sistema para evitar um possível apocalipse. Batizado de DE-STAR, trata-se de um conjunto de lasers de longo alcance movidos a energia solar capazes de pulverizar asteroides até 10 vezes maiores do que o 2012 DA14.

Pulverizador de rochas espaciais

(Fonte da imagem: Reprodução/Universidade de Santa Barbara)

A energia seria obtida através de satélites projetados especialmente para isso, que converteriam essa energia em lasers superpoderosos. Até o momento, o novo sistema existe apenas no papel, mas os cientistas afirmam que a tecnologia para o seu desenvolvimento — ainda que não em uma escala suficiente para desintegrar uma rocha espacial — já existe.

A proposta é construir painéis solares de diferentes diâmetros, variando de um metro a 10 quilômetros. Segundo as estimativas, um DE-STAR de 100 metros produziria energia suficiente para criar um laser capaz de desviar lentamente a rota de cometas e asteroides, enquanto um sistema de 10 quilômetros seria capaz de produzir 1,4 megatons de energia por dia, o que os cientistas acreditam ser suficiente para destruir um asteroide de 500 metros de largura.

Mas além de servir como arma anti-hecatombe, os pesquisadores acreditam que o DE-STAR também poderia ser utilizado no estudo da composição de asteroides ou até mesmo se transformar em um novo sistema de propulsão para espaçonaves.

Via Megacurioso

Cupons de desconto TecMundo: