(Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)
A urina já foi empregada em pesquisas como forma de gerar água potável ou mesmo energia. Além disso, em algumas culturas ela ainda é utilizada como um dos principais ingredientes de pratos bastante exóticos. Mas, se depender de alguns pesquisadores do Instituto de Biomedicina e Saúde Guangzhou, na China, esse líquido expelido pelo corpo humano pode ter um uso surpreendente para a ciência: criar células cerebrais.

De acordo com um estudo publicado este mês na revista Nature Methods, cientistas chineses conseguiram pegar células epiteliais da urina e transformá-las em células-tronco pluripotentes — que podem ser induzidas a se tornar qualquer tipo de tecido humano.

Não bastasse a descoberta ser um tanto “inusitada”, os pesquisadores ainda afirmam que todo o processo levou apenas 12 dias — metade do tempo que normalmente é necessário para a criação de células-tronco a partir de biópsias de tecidos ou amostras de sangue.

Trata-se de um grande passo para a medicina regenerativa, especialmente pelos cientistas ainda alegarem que foram capazes de cultivar e criar neurônios estáveis em pleno funcionamento dentro de quatro semanas. Para testá-los, os pesquisadores ainda colocaram os neurônios em cérebros de ratos. Por fim, as novas células se comportaram da maneira que os cientistas esperavam e não ocasionaram tumores.

Cupons de desconto TecMundo: