Bebê mamute congelado de 30 mil anos é encontrado no Canadá

2 min de leitura
Imagem de: Bebê mamute congelado de 30 mil anos é encontrado no Canadá
Imagem: Dan Shugar/University of Calgary
Avatar do autor

Na última semana, um bebê de mamute lanoso foi encontrado na América do Norte, em um permafrost na região de Yukon, no Canadá — permafrost, ou pergelissolo, é um solo da crosta terrestre constituído por gelo, terra e rochas permanentemente congeladas. De acordo com os pesquisadores, o filhote de mamute mumificado deve ter mais de 30 mil anos.

O bebê mede 1,4 metro de comprimento e foi nomeado de "Nun cho ga", ou "grande bebê animal" na língua indígena da região (Hän). De acordo com dados analisados, os pesquisadores também sugerem que o espécime é do sexo feminino e tinha apenas um mês de idade quando morreu.

O animal pré-histórico foi encontrado por garimpeiros canadenses durante um trabalho de escavação de ouro em Klondike, no território de Yukon. Após a descoberta, alguns geólogos da Universidade de Calgary e do Yukon Geological Survey foram chamados para estudar o achado.

Pesquisadores com o bebê mamute encontrado; a área onde o mamute foi encontrado pertence aos nativos da Primeira Nação Tr’ondek Hwech’inPesquisadores com o bebê mamute encontrado; a área onde o mamute foi encontrado pertence aos nativos da Primeira Nação Tr’ondek Hwech’inFonte:  Dan Shugar/University of Calgary 

Os cientistas sugerem que "Nun cho ga" morreu ao se perder de sua mãe e ficar presa em lama até se afogar. Caso ela tivesse vivido por mais anos e crescido como um mamute comum, os pesquisadores acreditam que ela chegaria a até 4 metros de altura e teria presas gigantes.

"Como paleontólogo da era do gelo, foi um dos sonhos da minha vida ficar cara a cara com um mamute lanudo de verdade. Esse sonho se tornou realidade hoje. Nun cho ga é linda e um dos mais incríveis animais mumificados da era do gelo já descobertos no mundo", disse o paleontólogo do departamento de turismo e cultura do governo de Yukon, Grant Zazula.

Mamutes extintos

Os cientistas afirmam que o achado é importante por conta do estado do filhote e já é considerado o mamute lanoso mais conservado na América do Norte. Inclusive, o animal está sendo comparado a outro mamute de 42 mil anos encontrado sob o gelo siberiano, na Rússia, em 2017.

De acordo com o Live Science, os mamutes lanosos caminhavam ao lado de cavalos selvagens, leões das cavernas e bisões gigantes, em diferentes regiões na América do Norte, Europa e Ásia. Há cerca de 5 mil anos, os mamutes foram completamente extintos.

Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.