Estudo revela impressora 3D que imprime painéis flexíveis OLED

1 min de leitura
Imagem de: Estudo revela impressora 3D que imprime painéis flexíveis OLED
Imagem: Universidade de Minessota
Avatar do autor

Televisões e monitores com a tecnologia OLED oferecem cores ricas e alta qualidade, mas o preço é um pouco alto em relação a outras tecnologias. Porém, pesquisadores da Universidade de Minnesota estão desenvolvendo uma impressora 3D caseira que pode imprimir os circuitos OLED com baixo custo.

De acordo com um estudo publicado na revista Science Advances na última sexta-feira (7), os pesquisadores estão usando uma impressora 3D que cabe em uma mesa comum e custa o preço de um Tesla Model S — o veículo elétrico é vendido por US$ 89,9 mil (cerca de R$ 508 mil na cotação atual) nos Estados Unidos.

Painel OLED impresso em 3D.Painel OLED impresso em 3D.Fonte:  Universidade de Minessota 

"Imprimindo" OLED

Normalmente, os painéis de OLED são desenvolvidos em grandes fábricas de empresas como Samsung e LG. Contudo, a pesquisa pode, eventualmente, possibilitar que entusiastas amadores fabriquem suas próprias telas OLED em casa.

“Isso é algo que realmente fabricamos em laboratório, e não é difícil imaginar que você possa traduzir isso para imprimir todos os tipos de telas em casa [...] em apenas alguns anos em uma pequena impressora portátil”, disse o professor da Universidade de Minnesota, do Departamento de Engenharia Mecânica, Michael McAlpine.

Painel flexível OLED.Painel flexível OLED.Fonte:  Universidade de Minessota 

A Universidade já havia realizado a impressão de OLEDs, mas passaram por algumas dificuldades no caminho. Desta vez, eles usaram impressão em spray para as camadas ativas e impressão por extrusão para eletrodos, interconexões, isolamento e encapsulamento — atualmente, o painel OLED flexível é capaz de exibir texto legível.

A qualidade da imagem ainda é uma questão a se resolver, porém, os pesquisadores já revelaram que estão trabalhando para oferecer telas com mais brilho e resolução mais alta. Vale destacar que ainda falta muito tempo para entusiastas conseguirem usar a tecnologia em casa, já que ela custa, literalmente, o valor de um carro — elétrico e da Tesla.