Estudo mostra que microplásticos podem prejudicar células humanas

1 min de leitura
Imagem de: Estudo mostra que microplásticos podem prejudicar células humanas
Imagem: Shutterstock
Avatar do autor

Os microplásticos, que chegam ao corpo humano pelo ar ou pela comida, podem prejudicar as células.

Esses detritos são capazes de causar a morte das células e gerar reações alérgicas, podendo dar início a outros problemas de saúde. A conclusão é de uma pesquisa britânica publicada na Journal of Hazardous Materials.

<iframesrc="https://www.google.com/maps/embed?pb=!1m14!1m12!1m3!1d244588.63241863935!2d-41.902331342719094!3d-16.6920201311938!2m3!1f0!2f0!3f0!3m2!1i1024!2i768!4f13.1!5e0!3m2!1spt-BR!2sbr!4v1639401536905!5m2!1sptBR!2sbr" width="600" height="450" style="border:0;" allowfullscreen="" loading="lazy">iframe

No entanto, ainda não se sabe ao certo o real risco que os microplásticos representam, já que não há dados suficientes sobre como eles podem ser excretados do corpo.

Os cientistas analisaram 17 estudos toxicológicos sobre o impacto desses resíduos, comparando a concentração de microplásticos que afetam as células à que é ingerida pelos seres humanos por meio do consumo de água e comida contaminadas. 

As pesquisas analisadas pelos cientistas encontraram alto nível de contaminação em produtos provenientes do marAs pesquisas analisadas pelos cientistas encontraram alto nível de contaminação em produtos provenientes do marFonte:  Shutterstock 

As pesquisas concluíram que a contaminação da água potável, de frutos do mar e sal de mesa gerou altos níveis de exposição humana aos microplásticos. Em seguida, os cientistas compararam esses níveis à quantidade de resíduos que haviam causado danos às células em estudos toxicológicos.

Apesar dessas consequências, os pesquisadores afirmam que são necessários novos estudos que mostrem o que acontece depois que esses detritos entram no corpo humano.  

Os microplásticos têm origem em resíduos industriais e residenciais e podem ser encontrados em todo o meio ambiente, do Saara à Antártica e até na atmosfera terrestre

A previsão é de que, com contínuo descarte inadequado do lixo, esses detritos ampliem sua presença no ambiente.