Com pandemia de covid-19, mortes no Brasil aumentaram 14,9% em 2020

2 min de leitura
Imagem de: Com pandemia de covid-19, mortes no Brasil aumentaram 14,9% em 2020
Imagem: Angela_Macario/Shutterstock
Avatar do autor

Um resultado já esperado por conta das mortes causadas pela covid-19, o número de registro de óbitos no Brasil durante o ano de 2020 atingiu um recorde: foram 1.513.575 pessoas, segundo o levantamento das Estatísticas do Registro Civil, divulgado nesta quinta-feira (18) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A alta anual chegou a 14,9%, ou 195.965 mortes a mais que em 2019. Até o fim de 2020, cerca de 195 mil pessoas haviam morrido em decorrência da infecção causada pelo SARS-CoV-2.

A alta registrada foi a maior desde 1984, tanto em percentual quanto em números absolutos. O crescimento do número de mortes entre os homens (16,7%) foi superior ao registrado entre as mulheres (12,7%). A faixa etária superior a 60 anos ou mais teve mais óbitos, ao passo que em idades inferiores a 20 anos houve uma redução, no período de 2019 a 2020.

CemitérioTúmulos abertos no Cemitério Vila Formosa, em São Paulo, em foto de abril de 2020 (créditos: ettore chiereguini/Shutterstock)

Outra consequência natural da pandemia, cerca de 73,5% das mortes registradas no país em 2020 ocorreram em hospitais, enquanto 20,7% delas foram em domicílios e 5,8% em outros locais, ou não declarados. Também representativo é o fato de 99,2% dos óbitos ocorridos a mais no ano passado terem sido registrados como causas naturais, classificação que inclui mortes decorrentes de doenças, inclusive a covid-19.

Maior alta de óbitos em 37 anos

A afirmação de que a alta de 14,9% no número de mortes em 2020 quando comparado ao de 2019 é um percentual muito acima de todas os registros já feitos anteriormente pelas Estatísticas do Registro Civil nos últimos 37 anos, pode ser verificada, por exemplo, pela variação ocorrida entre os anos de 2018 e 2019, que foi de 2,7%.

Quando se leva em conta apenas a alta de óbitos observada entre as pessoas acima de 60 anos de idade, que concentraram 75,8% de todas as ocorrências de 2020, verifica-se que houve 148.561 mais mortes do que no ano anterior, um crescimento de 16,3% frente a uma alta de 4,5% registrada de 2018 para 2019. Já na faixa de 15 a 59 anos, ocorreu uma alta de 14,9% no número de mortes em 2020, frente a uma redução de 1,2% no biênio anterior.

Quanto à distribuição geográfica dos óbitos, os percentuais mais altos aconteceram na região Norte (25,9%), no Centro-Oeste (20,4%) e no Nordeste (16,8%), todas superiores à média do país.

Entre os estados, o maior crescimento no número de óbitos ocorreu no Amazonas, com 31,9%. O estado foi um dos que mais teve impacto da pandemia de covid-19 — no início de 2021, a capital Manaus enfrentou escassez de oxigênio usado para tratar os doentes, levando o sistema de saúde local ao colapso.

Fontes