Tomate geneticamente editado com CRISPR começa a ser vendido no Japão

2 min de leitura
Imagem de: Tomate geneticamente editado com CRISPR começa a ser vendido no Japão
Imagem: Sanatech Seed/Reprodução.
Avatar do autor

A edição de genes via CRISPR/Cas9 tem revolucionado a ciência em muitos aspectos e vem trazendo com ele debates éticos sobre até que ponto podemos alterar a evolução natural das coisas. Uma startup japonesa especializada em sementes apostou na edição genética de tomates — e obteve sucesso. O primeiro produto oferecido foram as sementes, entregues de graça para cerca de 4.200 pessoas. Agora, eles passam a vender seus tomates geneticamente modificados.

Tomate geneticamente editado rico em GABATomate geneticamente editado rico em GABAFonte:  Sanatech Seed 

Com o passo, a Sanatech Seed se torna a primeira empresa do mundo a comercializar alimentos geneticamente editados com CRISPR, em parceria com a Pioneer EcoScience. Os tomates "Sicilian Rouge High GABA” estão à venda desde 17 de setembro no Japão, e as empresas pretendem, em breve, lançar um purê feito com o mesmo produto.

Os tomates com genoma editado para possuir cerca de cinco vezes mais ácido gama-aminobutírico (GABA), que pode prevenir a hipertensão e reduzir a ansiedade. O alimento funcional foi desenvolvido pela empresa em parceria com a Universidade de Tsukuba, também no Japão.

O GABA é produzido pelo organismo humano e desempenha um papel fundamental no cérebro e no sistema nervoso. Comercializado como suplemento dietético, seus benefícios são debatidos por cientistas — e uma revisão de evidências em 2020 concluiu que a ingestão de GABA pode ter efeitos benéficos sobre o estresse e o sono.

Em um comunicado aos consumidores, a Sanatech Seed afirmou que espera que seus produtos sejam úteis para a saúde das pessoas. "Continuaremos nossa pesquisa e desenvolvimento sob o conceito de 'para as crianças de amanhã e para a Terra' como a primeira empresa a vender produtos com genoma editado no Japão e produtos vegetais com genoma editado no mundo".

“É um marco muito significativo para os alimentos CRISPR”, disse Nigel Halford, da Rothamsted Research (no Reino Unido) – instituição que é uma das mais antigas especializadas em pesquisa agrícola do mundo –, em entrevista à revista britânica New Scientist, sobre o início das vendas do tomate.

Aqui no Brasil, temos acesso a produtos transgênicos nos supermercados, como o óleo de soja, por exemplo — porém nenhum alimento geneticamente editado com a "tesoura" CRISPR. Segundo pesquisa da New Scientist, os tomates do Japão realmente são o primeiro alimento do tipo comercializado no mundo.

Jon Entine, do Genetic Literacy Project, organização sem fins lucrativos americana, também disse à revista que, pelo que sabe, é o primeiro produto do tipo que é comercializado no mundo. “O milho CRISPR da Corteva foi liberado no Canadá, mas não ouvi dizer que foi lançado”, afirmou o pesquisador.

Evolução da edição de genes

A edição de genes muda o código genético (DNA) existente em um organismo. As formas anteriores de engenharia genética envolviam a adição de pedaços extras de DNA de outros organismos — como a soja recebendo DNA de outro grão para ficar mais resistente. Em alguns países, os alimentos produzidos usando este método não estão sujeitos às mesmas regras que outras culturas geneticamente modificadas.

As autoridades do Japão decidiram não regulamentar o Sicilian Rouge High GABA como alimento geneticamente modificado, o que permitiu adiantar seu lançamento, que estava previsto inicialmente para 2023.

Agora a empresa também estuda lançar o tomate em outros países. O Departamento de Agricultura dos EUA já confirmou que Sicilian Rouge High GABA não será regulamentado da mesma forma que as culturas geneticamente modificadas convencionais. Já Reino Unido e União Europeia regulamentariam o produto como geneticamente modificado — o que torna sua aprovação bem mais cara e demorada.

Provavelmente vai demorar para que o produto seja comercializado em escala global e para que o vejamos por aqui. E você, comeria tomate geneticamente editado?