Inglaterra inicia estudo com teste de sangue para detecção de câncer

1 min de leitura
Imagem de: Inglaterra inicia estudo com teste de sangue para detecção de câncer
Imagem: NHS England
Avatar do autor

Desde a segunda-feira (13), mais de 100 mil pessoas entre 50 e 77 anos estão sendo chamadas na Inglaterra para fornecer voluntariamente amostras de sangue em clínicas de teste móveis espalhadas em diversas regiões do país. O objetivo é avaliar o funcionamento do teste Galleri, usado para detecção precoce do câncer, no Serviço Nacional de Saúde (NHS).

Criado pela empresa de biotecnologia norte-americana Grail In., o Galleri é um teste que promete encontrar precocemente cânceres de difícil detecção, examinando fragmentos de DNA eliminados por possíveis tumores na corrente sanguínea dos pacientes. Ao detectar antecipadamente a neoplasia maligna de pulmão, intestino, pâncreas, garganta, cabeça e pescoço, o diagnóstico é capaz de elevar significativamente as taxas de sobrevivência.

Considerado pela executiva-chefe do NHS, Amanda Pritchard, como “o início de uma revolução na detecção e tratamento do câncer", o objetivo do maior ensaio clínico já realizado no mundo é que o sistema público de saúde do Reino Unido consiga detectar três quartos dos cânceres em seus estágios iniciais, quando são mais facilmente tratáveis.

Como o teste será realizado

Fonte: Amornthep/Pexels/ReproduçãoFonte: Amornthep/Pexels/ReproduçãoFonte:  Amornthep/Pexels 

O NHS já enviou convites para 140 mil pessoas de diferentes origens étnicas, cuja única exigência para participar do teste randômico é não ter tido diagnóstico de câncer nos últimos três anos. As análises das amostras, que já começaram a ser colhidas, serão executadas por oito Alianças de Câncer, iniciativa que reúne líderes clínicos e administradores de hospitais e outras organizações de saúde e assistência social.

Para conseguir provar se o teste ajuda ou não os médicos a identificar precocemente o câncer na população, metade dos participantes terá suas amostras analisadas imediatamente com o teste de Galleri, enquanto os demais terão o sangue armazenado para avaliação futura. Se os primeiros resultados, esperados para 2023, forem bem-sucedidos, o NHS irá abrir os testes para mais um milhão de pessoas nos anos de 2024 e 2025.