6G: cientistas batem novo recorde de alcance de transmissão de dados

1 min de leitura
Imagem de: 6G: cientistas batem novo recorde de alcance de transmissão de dados
Imagem: LG Electronics
Avatar do autor

Quando o foguete chinês Long March 6 decolou em novembro de 2020, levou a bordo o primeiro satélite 6G do mundo, conforme noticiamos aqui no TecMundo. Embora apregoado como um grande feito, na prática nenhuma transmissão em 6G havia sido feita até o início deste ano, quando uma parceria entre a Nokia e a Turk Telekom (em março) e a Samsung (em junho) realizaram experimentos que atingiram velocidades de 4,5 Gbps e 6,2 Gbps, respectivamente.

Agora, coube a outra sul-coreana, a LG Electronics, a quebra de um novo recorde de transmissão real em 6G. Segundo o blog da fabricante de eletroeletrônicos, uma parceria com os Institutos Fraunhofer Heinrich Hertz (HHI) e Fraunhofer para Física de Estado Sólido Aplicada (IAF), ambos da Alemanha, permitiu a transmissão de um sinal na faixa entre 155 a 175 GHz no dia 13 de agosto.

A façanha consistiu em transmitir um sinal do edifício do HHI para o Instituto de Tecnologia de Berlim, a uma distância de 100 metros. Embora o recorde possa parecer de pouca importância, visto que os dois prédios são vizinhos, o que estava em jogo era o funcionamento de uma tecnologia de ponta que funciona muito bem em laboratórios, mas ainda oferece limitações de perda de potência na prática.

Até então, o alcance mais longo de uma transmissão em 6G havia sido obtido pela Samsung — 50 pés (ou pouco mais de 15 metros de distância). A LG não informou a velocidade que a nova transmissão em 6G teve atingiu.

Fonte: LG Electronics/DivulgaçãoFonte: LG Electronics/DivulgaçãoFonte:  LG Electronics

Problemas para a implantação efetiva do 6G

Quando se implanta uma transmissão de dados em 6G, um dos grandes diferenciais da nova tecnologia, a sua ultravelocidade, acaba de transformando em sua principal limitação, pois o espectro terahertz ultrarrápido utilizado tem alcance curto e apresenta perda de potência durante a transmissão e a recepção entre as antenas.

De acordo com o blog da empresa sul-coreana, essas limitações foram contornadas através da construção de um amplificador de potência desenvolvido através da parceria LG/Fraunhofer HHI7Fraunhofer IAF, que conseguiu gerar um sinal estável em frequência de banda ultralarga. Além disso, a LG também obteve sucesso na tecnologia de formação de feixe adaptável, que altera a direção do sinal conforme as mudanças no canal e na posição do receptor.

Embora a experiência da LG Electronics tenha sido bem-sucedida, é importante lembrar que o padrão 6G em uma versão minimamente estável só estará disponível, segundo a empresa, em 2025.