Dinamarca construirá ilha no Mar do Norte para fornecer energia

2 min de leitura
Imagem de: Dinamarca construirá ilha no Mar do Norte para fornecer energia
Imagem: Danish Energy Agency
Avatar do autor

A Dinamarca aprovou na quinta-feira (4) um projeto para construção de uma gigantesca ilha no Mar do Norte, para fornecimento de energia a três milhões de lares na Europa. Segundo a agência Reuters, a ilha artificial terá o tamanho de 18 campos de futebol (120 mil metros quadrados), mas pode se tornar três vezes maior.

A instalação funcionará como uma grande hub conectada a 200 turbinas eólicas instaladas em alto-mar, para fornecer energia elétrica para residências e também hidrogênio para uso em navegação, aviação, indústria e transporte pesado. Esse é o maior projeto de construção da história do país, com orçamento de US$ 34 bilhões (R$ 182 bilhões).

Situado a 80 km da costa, o projeto coincide com a decisão da União Europeia (EU) de direcionar o seu sistema elétrico para fontes energéticas renováveis dentro de dez anos, bem como elevar a sua capacidade de produção de energia eólica offshore em 25 vezes até 2050.

Fonte: Bob Strong/Reuters/ReproduçãoFonte: Bob Strong/Reuters/ReproduçãoFonte:  Bob Strong/Reuters 

Redução de gases e neutralização do carbono

O fornecimento de energia elétrica através da nova ilha não ficará restrito aos consumidores dinamarqueses, sendo estendido às redes elétricas de países vizinhos, como Reino Unido, Alemanha e Holanda. Também o hidrogênio verde, obtido através de eletrolisadores, será destinado a outras nações.

Em entrevista à BBC, o professor Jacob Ostergaard, da Universidade Técnica da Dinamarca, afirmou que esse “é o próximo grande passo para a indústria dinamarquesa de turbinas eólicas”. Segundo ele, depois de liderar em terra, o país também assumiu a ascendência da tecnologia em alto-mar, e a construção de ilhas de energia irá consolidar a posição pioneira da Dinamarca.

O projeto também surge como uma solução para que o país honre com os compromissos assumidos em dezembro de 2019, quando foi aprovada a nova lei climática da Dinamarca, que prevê uma redução de 70% nas emissões de gases de efeito estufa (de 1990 a 2030), e a neutralidade em CO2 até 2050.

Para cumprimento de sua lei do clima, a Dinamarca deu um primeiro passo em dezembro do ano passado ao interromper a exploração de petróleo e gás na porção dinamarquesa do Mar do Norte, prometendo transformar o local em um centro de energia renovável e armazenamento de carbono.

Duas ilhas

Fonte: CGTN/ReproduçãoFonte: CGTN/ReproduçãoFonte:  CGTN 

Embora se saiba que a futura ilha será construída a 80 km da costa oeste, no Mar do Norte, as autoridades ainda não revelaram a sua localização exata. As turbinas eólicas ao redor da instalação terão uma capacidade inicial de 3 gigawatts e iniciarão suas operações por volta de 2033.

Há planos para a construção de um segunda ilha de energia no mar Báltico, próximo à ilha de Bornholm, a leste do continente. A instalação ficará sobre controle total da Dinamarca e fornecerá energia elétrica para países vizinhos. A capacidade projetada é de 2 gigawatts.

Concluída a aprovação, o projeto das ilhas será conduzido pelo departamento de clima da Dinamarca que discutirá a execução com potenciais investidores do setor privado. Na esfera política, passarão a ser discutidas as condições da licitação, a aprovação de legislação espefícia para a obra e a realização de estudos de impacto ambiental.

Fontes