Anvisa recebe pedido de uso emergencial da CoronaVac pelo Butantan

1 min de leitura
Imagem de: Anvisa recebe pedido de uso emergencial da CoronaVac pelo Butantan
Imagem: Aloisio Mauricio/Estadão
Avatar do autor

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou na manhã desta sexta-feira (8) que recebeu o primeiro pedido de uso emergencial de uma vacina contra a covid-19 no Brasil: a Coronavac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo.

O protocolo online com o pedido foi entregue pelo Butantan pouco antes do início da reunião virtual desta sexta-feira com a agência reguladora, às 9h34, segundo o instituto. A Anvisa, que terá um prazo de 10 dias corridos para analisar o processo, informou que já iniciou a triagem da documentação.

Aloisio Mauricio/Fotoarena/O Globo/ReproduçãoAloisio Mauricio/Fotoarena/O Globo/ReproduçãoFonte:  Aloisio Mauricio/Fotoarena/O Globo 

A análise da CoronaVac

Em nota, a Anvisa esclareceu: "As primeiras 24h serão utilizadas para fazer uma triagem do processo e checar se todos os documentos necessários estão disponíveis. Se houver informação importante faltando, a Anvisa pode pausar o prazo e solicitar as informações adicionais ao laboratório".

Após a Anvisa oficializar o recebimento do pedido do uso emergencial da vacina, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) utilizou sua conta no Twitter para registrar que a CoronaVac "comprovou sua eficácia e segurança e agora poderá imunizar milhões de brasileiros".

A Anvisa esclareceu que a análise do pedido é realizada por uma equipe multidisciplinar constituída por especialistas nas áreas de registro, monitoramento e inspeção. O resultado final do estudo sobre a eficácia é a última etapa necessária para que a Anvisa analise o pedido de autorização para o início de imunização na população brasileira.

Anvisa recebe pedido de uso emergencial da CoronaVac pelo Butantan