Olimpíadas no Japão: medidas contra coronavírus custarão US$ 960 mil

1 min de leitura
Imagem de: Olimpíadas no Japão: medidas contra coronavírus custarão US$ 960 mil
Imagem: Kyodo News
Avatar do autor

Nesta quarta-feira (2), a administração metropolitana de Tóquio, o governo japonês e o comitê organizador da Olimpíada e Paralimpíada de Tóquio, adiadas para 2021, apresentarão um relatório provisório sobre as contramedidas a serem adotadas para conter o coronavírus, de forma a não restringir os movimentos.

Nesse sentido, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, anunciou em novembro passado que a vacina contra a covid-19 não será obrigatória para os atletas que participarem dos jogos. Somente as contramedidas para o coronavírus foram estimadas pelo comitê organizador das olimpíadas em  torno de ¥100 bilhões (cerca de R$ 5 bilhões).

Os jogos olímpicos de Tóquio serão provavelmente o primeiro evento global de larga escala desde o início da pandemia, e o sucesso do empreendimento pode servir de base para um parâmetro a ser seguido pelo restante do mundo na a retomada do turismo global.

Fonte: Getty Images/ReproduçãoFonte: Getty Images/ReproduçãoFonte:  Getty Images 

Decidindo quem paga a conta

Orçados inicialmente em ¥1,35 trilhão (R$ 50 bilhões), os jogos olímpicos de Tóquio, tiveram um acréscimo de cerca de ¥200 bilhões (R$ 10 bilhões) devido ao seu adiamento, e as três partes envolvidas no projeto estão agora determinando quanto caberá a cada uma delas para bancar esse valor adicional.

Os novos investimentos para contenção do vírus incluem uma infraestrutura de cuidados de saúde, com um sistema de testagem, e a compra de equipamentos necessários para a prevenção de infecções. Também a segurança dos locais dos jogos deverá ser reforçada, o que implica em aluguel de equipamentos, taxas de armazenamento e custos de mão de obra.

A preocupação dos administradores que compõem o comitê organizador é com os impactos políticos desse aumento de gastos com a conservadora população japonesa. A ideia é conseguir simplificar as olimpíadas e reduzir ao máximo os custos, sem comprometer a segurança do evento.

A Olimpíada de Tóquio está programada para ocorrer entre os dias 23 de julho e 8 de agosto de 2021, seguida da Paraolimpíada, entre 24 de agosto e 5 de setembro.

Olimpíadas no Japão: medidas contra coronavírus custarão US$ 960 mil