Cinzas humanas serão levadas para a Lua em 2021

2 min de leitura
Imagem de: Cinzas humanas serão levadas para a Lua em 2021
Imagem: NASA/Divulgação
Avatar do autor

Em 31 de julho de 1999, a sonda Lunar Prospector, da NASA, atingiu propositalmente o fundo de uma cratera de escuridão eterna, enterrando juntamente com ela em solo lunar as cinzas do pai da ciência planetária, o geólogo Eugene M. Shoemaker. Dois anos antes, a Celestis, uma empresa de serviços funerários espaciais, mandava para a órbita da Terra os primeiros restos humanos cremados.

A missão que levou Shoemaker para seu túmulo fora da Terra foi o voo Luna 01 da Celestis; o Luna 02 (ou ainda Tranquility Flight, ou “Voo da Tranquilidade") deve ter como passageiro ilustre o lendário escritor de ficção científica Arthur C. Clarke (ou, pelo menos, amostras do seu DNA), morto em 2008.

O módulo Peregrine, da empresa Astrobotic, deve pousar em meados de 2021 em uma área no nordeste da Lua chamada Lacus Mortis (lagoa morta, em latim) levando a bordo cinzas de 60 pessoas. As reservas para o Luna 02, a um preço inicial de US$ 12.500 cada, estão encerradas.

"Esta missão e as subsequentes homenageiam aqueles que desejam fazer uma contribuição tangível para a exploração contínua da humanidade e utilização pacífica do espaço. À medida que a humanidade se expande além dos limites de um único planeta, é particularmente apropriado que carreguemos nossos rituais, celebrações e memoriais conosco”, disse ao site Space o CEO e um dos fundadores da Celestis, Charles Chafer.

Segundo ele, “o Luna, um dos serviços mais populares, proporciona a famílias e amigos a permanência de um túmulo fora do planeta e fornece um lembrete constante no céu noturno do local de descanso final de um ente querido”.

Aonde nenhum ser humano jamais esteve

As pessoas podem estar a bordo de mais de uma missão: as cinzas de de James Doohan, o original Sr. Scott de Star Trek estiveram a bordo dos voos Explorers, Legacy e New Frontier – e ainda integrarão o primeiro voo para a órbita do Sol.

Ele vai se chamar Enterprise e, segundo a empresa, “será lançado da Terra, viajará além do alcance gravitacional da Lua e se tornará uma das poucas espaçonaves orbitando infinitamente o Sol - um tributo verdadeiramente permanente.”

As cinzas do casal Gene e Majel Barret Roddenberry (a pedido dela) serão lançadas na órbita do Sol em fins de 2022.As cinzas do casal Gene e Majel Barret Roddenberry (a pedido dela) serão lançadas na órbita do Sol em fins de 2022.Fonte:  Celestis/Divulgação 

O voo deve acontecer ao fim de 2022 e terá dois passageiros ilustres a bordo: o roteirista e produtor de Star Trek Gene Roddenbery (cujas cinzas foram ao espaço no primeiro voo da Celestis, em 1997, o Founders Flight) e sua mulher, a atriz Majel Barret.

Porém, ninguém ainda alcançou a glória do descobridor de Plutão, o astrônomo Clyde Tombaugh: suas cinzas viajam a bordo da sonda New Horizons, a caminho do espaço profundo, fora do sistema solar.

A lata com as cinzas do astrônomo Clyde Tombaugh, fixada na sonda New Horizons.A lata com as cinzas do astrônomo Clyde Tombaugh, fixada na sonda New Horizons.Fonte:  Johns Hopkins APL/Reprodução 

Cinzas humanas serão levadas para a Lua em 2021