(Fonte da imagem: Reprodução/Niels Bohr Institute)

É comum imaginarmos que lasers podem esquentar as coisas, correto? Mas em uma pesquisa paradoxal, pesquisadores do Niels Bohr Institute, na Dinamarca, encontraram uma maneira de usar os mesmos lasers para esfriar semicondutores. E não por poucos graus, mas sim em um nível considerável, levando-os até – 269º Celsius.

No experimento, a equipe de cientistas criou uma espécie de ressonância óptica. A membrana semicondutora foi posicionada em frente a um espelho e então atingida pelo raio laser, que passava através dela e era refletida. Dessa forma, foi criado um “looping”, responsável pela ressonância óptica citada anteriormente. Ao absorver essa luz, as camadas da membrana passaram a flutuar entre o vidro e o próprio semicondutor, e o controle dessa oscilação é responsável por esfriar o material.

O processo, que foi publicado na revista Nature Physics, poderá no futuro ser usado no resfriamento de computadores quânticos e no mercado de sensores.

Cupons de desconto TecMundo: