Como funciona um teste de gravidez digital?

1 min de leitura
Imagem de: Como funciona um teste de gravidez digital?
Imagem: Foome/Reprodução
Avatar do autor

Testes de gravidez digitais são curiosos dispositivos eletrônicos que são equipados por hardware topo de linha — pelo menos, de várias décadas atrás. Os usuários do Twitter @foone e @xtoff partiram numa investigação sobre o funcionamento desses aparelhos e descobriu que são tão poderosos quanto o computador IBM original de 1981.

Atualmente, os exames de gravidez digitais são facilmente encontrados em grandes lojas do varejo e farmácias nos Estados Unidos, saindo por míseros US$ 5 cada. Dentro deles, segundo os curiosos, estão um processador, memória RAM, uma célula de memória e um pequeno display LCD para apresentar o resultado.

a  Foone/Reprodução 

O processador é microcontrolador Holtek de 8 bits, acompanhado por 64 bytes de RAM, chegando a frequências de 4 MHz ou 8 MHz, variando de acordo com a capacidade da bateria. Os números podem parecer simplórios, mas é “provavelmente mais rápido que o IBM PC no processamento de números e na entrada e saída de dados”, segundo foone.

Na parte de traz do teste, ficam visíveis a bateria, a outra face do PCB e uma fita de papel que reage quimicamente com a urina, assim como há no teste convencional. A presença dessa fita reitera que o teste digital não oferece maior precisão ou mais informações que um simples teste de gravidez.

a  Foone/Reprodução 

Assim que fica úmido, o papel aciona a bateria e o aparelho é ligado. O dispositivo utiliza três LEDs e sensores de luz fotossensíveis para realizar a leitura sobre o papel e levar este resultado para o display de LCD. Os dados do sensor passam pela memória, são analisados pelo processador e logo são demonstrados.

Na prática, a única diferença dos exames digitais para os convencionais é a claridade das informações. Enquanto exame convencional apresenta resultados em faixas — que eventualmente podem ser confundidas —, o display apresenta o resultado de forma mais legível.

Representação do fluxo de dados do microcontrolador.Representação do fluxo de dados do microcontrolador.Fonte:  Foone/Reprodução 

Roda Doom?

Os perfis também se fizeram esse clássico questionamento, e descobriram que não é possível. O sistema que compõe o exame não é programável; portanto, não é possível inserir dados de um jogo para que ele seja executado.

Por fim, a conclusão dessa investigação é que testes digitais são, de fato, um belo desperdício de plástico e componentes eletrônicos. Por se tratar de um produto descartável e de uso único, assim que demonstrado o resultado, o dispositivo é jogado no lixo e, na maioria das vezes, os componentes não são reaproveitados.

Como funciona um teste de gravidez digital?