Os olhos em formação, indicados pelas setas, cresceram em um local bem distante da posição normal. (Fonte da imagem: Science Daily)

Quando um embrião está em formação e as células começam a se multiplicar, a formação dos órgãos e membros ocorre de maneira natural, colocando cada parte do corpo em seu devido lugar – olhos, boca, nariz e ouvidos na cabeça, por exemplo. Mas e se a ciência fosse capaz de manipular isso?

Biólogos da Tufts University divulgaram alguns resultados que provam que esse dia está para chegar. Ao manipular um embrião de girino, a equipe de geneticistas conseguiu fazer com que olhos crescessem na cauda e nas costas do animal, em vez de na posição normal. Isso foi possível ao alterar a voltagem da membrana de algumas células, para que elas ficassem similares às do órgão responsável pela visão.

Segundo o Daily Mail, isso significa que qualquer célula em fase inicial pode gerar um olho, por exemplo, caso ela seja manipulada da maneira correta. Apesar da técnica não ser muito aceita por quem não é da comunidade científica, os geneticistas responsáveis argumentam que tudo é por uma boa causa: ao pesquisar e desenvolver essa formação genética, será possível apostar na medicina regenerativa, que tornaria possível a reconstrução de membros amputados ou órgãos danificados.

Cupons de desconto TecMundo: