Ar-condicionado: ajuda ou atrapalha em relação ao coronavírus?

1 min de leitura
Imagem de: Ar-condicionado: ajuda ou atrapalha em relação ao coronavírus?
Imagem: https://pixabay.com/pt/photos/parede-ventilador-ar-condicionado-1801952/
Avatar do autor

Dois estudos chineses sugerem que o sistema de refrigeração de um restaurante de Guangzhou, a 965 quilômetros de Wuhan, na China, foi o responsável pela infecção de 10 pessoas, que pertencem a 3 famílias diferentes, em apenas um dia. As pessoas teriam contraído covid-19 a partir de um único indivíduo que já chegou ao restaurante infectado pelo novo coronavírus.

Um dos estudos foi realizado pelo Centro de Controle de Doenças de Guangzhou e está previsto para ser publicado na revista Emerging Infectious Diseases, do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), em julho. Os pesquisadores supõem que o vírus pode “pegar carona” nas correntes de ar dos sistemas de ventilação e se propagar, além do contágio que ocorre de uma pessoa para outra em curtas distâncias.

O outro estudo, realizado pela Universidade de Hong Kong, fez a simulação em computador da movimentação do ar no local, no dia do contágio. Os pesquisadores concluíram que a contaminação foi possível graças à ventilação inadequada e à alta concentração de pessoas.

Ambos os estudos ainda serão revisados por outras equipes de cientistas.

Simulação do fluxo de ar

De acordo com o estudo que simulou a movimentação de ar dentro do restaurante, as pessoas foram infectadas por estarem na mesma direção do fluxo de ar do ar-condicionado responsável pela refrigeração daquela área específica. O local estava superlotado e os exaustores estavam desligados.

Fonte: Universidade de Hong Kong/DivulgaçãoFonte: Universidade de Hong Kong/DivulgaçãoFonte:  Universidade de Hong Kong 

Na imagem, a “nuvem” de gás representa o ar “preso” em umas das zonas de refrigeração da sala. O indivíduo doente está em azul e os outros infectados estão em vermelho.

Ar-condicionado não é sempre o vilão

Apesar das conclusões iniciais dos estudos chineses, alguns especialistas defendem que o ar-condicionado, quando usado corretamente, pode ajudar a sociedade contra a infecção, tanto pelo novo coronavírus quanto por outros microrganismos. Isso é o que afirma o professor especialista em ar-condicionado, Antonio Luís de Campos Mariani, do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de São Paulo (USP).

Mariani explica que sistemas de refrigeração com manutenção em dia e que realizam a renovação do ar (troca de ar com o ambiente e o meio externo) são aliados contra o contágio.

Outros especialistas lembram a importância da umidade do ar. Ambientes com a umidade correta fazem as gotículas expelidas durante a tosse e o espirro ficarem pesadas e caírem no chão, facilitando a limpeza do ambiente.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Ar-condicionado: ajuda ou atrapalha em relação ao coronavírus?