São Paulo inicia monitoramento de celulares para conter coronavírus

1 min de leitura
Imagem de: São Paulo inicia monitoramento de celulares para conter coronavírus
Imagem: Pixabay
Avatar do autor

Na última quarta-feira (8), o Governo do estado de São Paulo iniciou testes de monitoramento de sinais de celulares para detectar aglomerações. A informação foi confirmada em coletiva de imprensa liderada pelo governador João Dória na quinta-feira (9).

Com base em dados cedidos pelas operadoras Vivo, Claro, Oi e TIM, a medida visa verificar se as pessoas estão em casa e auxiliar na tomada de providências quando não.

“As operadoras vão passar a monitorar o isolamento no estado de São Paulo durante a quarentena (que acaba em 22 de abril). A partir das informações dos dados dos usuários de telefonia, ou seja, 100% dos dados, nós poderemos identificar os locais onde existir concentração para realizar ações de isolamento e também orientações e advertências, se necessário”, de acordo com Dória.

(Fonte: UOL)  UOL 

Os mapas desses dados também serão fornecidos para as prefeituras de cidades com mais de 30 mil habitantes. Números de celulares não fazem parte da iniciativa.

Medidas mais rigorosas

A repercussão da medida no Twitter não foi das melhores. A hashtag #DoriaDitador atingiu os trending topics da rede social e chegou a 38 mil menções citando a sugestão dada pelo governador de que, caso o nível de isolamento não atinja taxas maiores, ações mais rigorosas serão postas em prática.

“Vamos fazer o teste este final de semana. Se não elevarmos esse nível de pessoas cumprindo a quarentena – que hoje é de 50% – para 60% e caminharmos para 70%, a partir de segunda-feira (13), não apenas o governo do estado, como também a prefeitura de São Paulo, tomarão medidas mais rígidas. Queria evitar isso, porque isso significa que pessoas não poderão apenas receber advertências, mas também multa e voz de prisão. Desejo ter que evitar isso. As pessoas precisam ter consciência”.

Fonte:  UOL 

João Dória ainda complementou: “Isolamento social não são férias. As pessoas precisam ter consciência disso. Não basta se deslocar da capital ou região metropolitana para ir ao interior ou litoral para estar a salvo. Pelo contrário, você está aumentando o potencial de risco nessas regiões. Não estamos propondo isolamento como uma programação de férias”.

O estado de São Paulo chegou a 496 mortes por coronavírus, segundo balanço do ministério da Saúde divulgado nesta quinta-feira, um aumento de 15% em 24 horas. Os casos confirmados da doença no estado chegaram a 7.480.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
São Paulo inicia monitoramento de celulares para conter coronavírus