Como usar o seu smartphone para ajudar na luta contra o coronavírus

1 min de leitura
Imagem de: Como usar o seu smartphone para ajudar na luta contra o coronavírus
Imagem: Eu Sem Fronteiras
Avatar do autor

Uma novo projeto contra a pandemia de covid-19 permite que você ajude pesquisadores a encontrarem uma vacina para a doença apenas baixando um programa no seu celular ou computador. Estamos falando do Rosetta@home, projeto similar ao famoso Folding Home lançado em 2000, voltado para a análise de doenças através de uma rede de supercomputadores.

Em resumo, se trata de um projeto BOINC (sigla em inglês para Berkeley Open Infrastucture For Network Computing) que consiste em uma estrutura de software para computação distribuída com o objetivo de facilitar o desenvolvimento de projetos empregando o conceito de computação voluntária.

Estrutura de proteína desenvolvida pelo projetoEstrutura de proteína desenvolvida pelo projetoFonte:  Rosetta@home 

Na introdução deste novo aplicativo, disponível apenas para dispositivos Android, os desenvolvedores explicam que o projeto é voltado para a identificação e produção de proteínas relevantes para doença que, vale dizer, podem ser utilizadas em potenciais terapias e diagnósticos.

Dessa forma, uma vez que você baixe o programa no seu celular ou computador, seu dispositivo vai alimentar a rede de supercomputadores do projeto, facilitando a descoberta novas informações sobre a covid-19. Assim, quanto mais dispositivos conectados, maior será o poder de processamento e pesquisa do Rosetta@home.

O Folding@home, apesar de ter sido foco dos holofotes durante alguns anos, era limitado a computadores desktop e servidores padrão. Isso significa que dispositivos equipados com Linux, ARM e Raspberry Pi ficavam de fora da jogada, incluindo os celulares que, na época, não podiam contribuir para o projeto.

O Rosetta@home resolveu essa questão, possibilitando que todos esses dispositivos sejam compatíveis à estrutura do projeto. Apesar de os celulares não serem tão potentes quanto computadores, eles são muito eficientes em termos de energia e se destacam na quantidade. Atualmente, são 3,5 bilhões de celulares ao redor do mundo com potencial de contribuir para esta iniciativa. O que achou dessa ideia? Dê sua opinião nos comentários!

Como usar o seu smartphone para ajudar na luta contra o coronavírus