Consumo de óleo de soja é associado com alterações neurológicas

1 min de leitura
Imagem de: Consumo de óleo de soja é associado com alterações neurológicas
Avatar do autor

Pesquisadores da Universidade da Califórnia fizeram uma descoberta ligeiramente preocupante: segundo indicaram seus experimentos, o óleo de soja – uma das variedades mais populares hoje em dia – pode estar relacionado com o surgimento de diversas alterações neurológicas.

O estudo foi conduzido com ratinhos de laboratório e apenas envolveu machos, mas, mesmo em se tratando de uma população limitada, os resultados servem para motivar a realização de novas pesquisas e para que fiquemos alertas.

Óleo na mira da Ciência

Na realidade, esta não é a primeira vez que um estudo revela que o consumo de óleo de soja pode ser prejudicial à saúde. Há alguns anos, pesquisadores descobriram que esse ingrediente está associado a uma maior incidência de condições como a resistência à insulina e o diabetes – além da obesidade, evidentemente.

(Fonte: The Sentinel / Reprodução)

Na ocasião, os trabalhos também foram realizados com ratinhos de laboratório, mas os resultados foram suficientes para que os cientistas se aprofundassem mais no tema e concluíssem que se as quantidades de ácido linoleico presentes no óleo de soja fossem reduzidas, os impactos sobre os problemas de saúde que mencionamos antes podiam ser controlados. Entretanto, o estudo realizado pela equipe da Universidade da Califórnia encontrou outra forma como o consumo desse produto pode, potencialmente, nos fazer mal.

Segundo observaram em seus ratinhos de laboratório, a ingestão de alimentos preparados com o óleo interferiu com a atividade do hipotálamo dos animais, região cerebral responsável pelo controle das emoções e da atividade sexual, assim como por regular a temperatura corporal e as sensações de fome e sede. Ademais, a dieta rica no ingrediente afetou o funcionamento de mais ou menos 100 genes, entre eles, o que comanda a produção de oxitocina no organismo – ou seja, a produção do hormônio responsável por nos ajudar a formar laços afetivos.

(Fonte: Wikiwand / Reprodução)

Com isso, embora os cientistas concordem que é necessário continuar com as pesquisas e expandir os levantamentos, a equipe acredita que o consumo do óleo de soja pode efeitos negativos em uma diversidade de condições neurológicas em humanos, incluindo, entre elas, a depressão, a ansiedade, o Alzheimer e síndromes do espectro autista. E você, que óleo costuma usar para cozinhar?

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Consumo de óleo de soja é associado com alterações neurológicas