Hubble captura imagem de uma das maiores galáxias já descobertas

1 min de leitura
Imagem de: Hubble captura imagem de uma das maiores galáxias já descobertas
Avatar do autor

Pode parecer que, com cerca de 100 mil anos-luz de diâmetro e um número estimado entre 100 e 400 bilhões de estrelas, a Via Láctea seja descomunal. Não que a nossa galáxia não seja! Mas existem outras no Universo que são bem maiores – como é o caso da UGC 2885. Conhecida há várias décadas pelos astrônomos, essa formação cósmica, situada a mais de 230 milhões de anos-luz de distância da Terra, conta com colossais 463 mil anos-luz de diâmetro, abriga pelo menos 10 vezes mais estrelas do que a Via Láctea e está entre as maiores galáxias em espiral já descobertas.

“Godzilla Galáctico”

A UGC 2885 fica localizada em uma região distante do espaço conhecida como Superaglomerado Perseu-Peixes e, por conta de seu tamanhão e comportamento relativamente tranquilo – segundo os astrônomos, a galáxia lembra um “gigante adormecido” nas profundezas do oceano cosmos –, ela também é conhecida pelo apelido carinhoso de Godzilla.

Região do espaço onde a galáxia habita (Fonte: NASA / Reprodução)

E por que a UGC 2885 virou notícia? Porque o telescópio espacial Hubble da NASA conduziu uma série de observações dessa imensa galáxia – e, apesar de fornecer novos dados para os cientistas analisarem (e se divertirem), ninguém sabe ao certo como ela foi se tornar tão grande.

As informações coletadas pelo Hubble – assim como dados mais antigos também – sugerem que, ao contrário do que aconteceu com outras galáxias, incluindo a nossa, por exemplo, a UGC 2885 não parece ter passado por colisões e fusões galácticas gigantescas. No entanto, as observações mais recentes apontaram a presença de grandes aglomerados com formato circular que, por sua vez, indicam que o “Godzilla Galáctico” pode ter crescido depois de devorar algumas formações estelares que “residiam” em suas redondezas.

(Fonte: NASA / Reprodução)

Os astrônomos ainda não terminaram de examinar todas as informações coletadas pelo Hubble durante as observações e estão dando especial atenção aos tais aglomerados. Quem sabe desta vez eles consigam matar a charada de como a UGC 2885 foi se tornar tão vasta?

Hubble captura imagem de uma das maiores galáxias já descobertas