Um estudo publicado recentemente na Nature Genetics revelou o motivo que está fazendo com que os tomates percam seu sabor ao longo dos anos: a ausência de alguns genes importantes.

Para chegar a esse resultado, pesquisadores do Agricultural Research Service e do Boyce Thompson Institute, ambos dos Estados Unidos, mapearam o genoma de tomates cultivados e daqueles que ainda são encontrados crescendo normalmente na natureza. Com isso em vista, eles marcaram milhares de genomas que eram desconhecidos e fizeram comparações com as frutas dos dois grupos.

O gene influencia no sabor da fruta por funcionar como um catalisador

Após o cruzamento dos dados, eles deduziram que os produtos vindos de plantações pederam milhares de seus genes por conta do processo para produzir tomates mais rápido e em grandes quantidades. Por conta disso, apenas 2% dos tomates vendidos em mercados possuem o gene que realça seu sabor, enquanto na natureza isso é perceptível em cerca de 90% deles.

"Uma das descobertas mais importantes de construir esse genoma é uma forma rara do gene conhecido como TomLoxC, que é o que mais diferente na versão do DNA que promove os genes. O gene influencia no sabor da fruta por funcionar como um catalisador de um número de compostos que evaporam facilmente e contribuem com o aroma", explicou James Giovannoni, um dos autores desse estudo.