Uma sonda lançada ao espaço pela União Soviética no ano de 1972 – e que tinha como destino o planeta Vênus – pode cair em algum ponto desconhecido do planeta Terra ainda em 2019. É isso que os especialistas consultados pela publicação Space.com afirmam em uma matéria que conta a história da Kosmos 482 e analisa os riscos que corremos aqui embaixo.

O problema é que o lançamento da sonda não foi bem-sucedido e a Kosmos 482 acabou ficando presa na órbita da Terra

A Kosmos 482 foi lançada pela agência espacial soviética n dia 31 de março de 1972 do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. Seu destino era o inóspito planeta Vênus, onde a sonda deveria pousar e enviar de volta para a Terra o máximo possível de informações antes de ser destruído pela atmosfera extremamente mais densa e quente do que a do nosso planeta. Justamente por esse motivo, a Kosmos 482 foi feita com materiais muito resistentes, para prolongar ao máximo sua duração.

O problema é que o lançamento da sonda não foi bem-sucedido e a Kosmos 482 acabou ficando presa na órbita da Terra por não ter conseguido impulso suficiente para se desvencilhar da gravidade terrestre. Na época, em plena Guerra Fria e Corrida Espacial, foi mais uma missão que falhou como muitas outras que aconteceram tanto do lado soviético quando do americano.

aSonda Venera 8, muito parecida com a Kosmos 482: essa conseguiu chegar com sucesso em Vênus

Sonda esquecida, mas perigosa

A União Soviética superou a falha e conseguiu mandar outras sondas de maneira bem-sucedida para explorar Vênus. A Kosmos 482 foi esquecida na nossa órbita junto com outras tantas toneladas de lixo espacial que ficam lá, girando em volta da Terra. Porém, há algum tempo, ela foi relembrada, quando especialistas – entre eles, observadores desses objetos que estão em órbita – notaram que a trajetória da Kosmos 482 indicava que não demoraria muito para ela cair na Terra.

Isso é possível de acontecer porque a sonda foi feita com materiais capazes de penetrar na atmosfera de Vênus e ainda aguentar um tempo sem danos no interior dela. A queda da Kosmos 482 na Terra, mesmo com o atrito sofrido na reentrada, não a destruiria, transformando-a em uma poeira metálica inofensiva.

As primeiras estimativas indicavam que a Kosmos 482 deveria cair na Terra entre os anos de 2023 e 2025 segundo foi apurado no meio do ano passado. Agora, porém, especialistas indicam que esse prazo foi afetado e a sonda deve deixar de girar em torno do planeta e cair em algum lugar imprevisível em torno do fim de 2019 ou começo de 2020.

aKosmos 482, fotografada em 25 de junho de 2014 de um alcance de 295,2 km, enquanto passava a 268,1 km de distância do solo

Mistério no céu

É um pouco incerto também qual parte do total da sonda que ainda está em órbita, mas estima-se que seja uma peça com massa total de quase 500 kg. Ralf Vandebergh, fotógrafo espacial holandês, é um dos especialistas que registrou as recentes passagens da Kosmos 482 pelos céus e, pela análise de sua trajetória e sua refração de luz, afirmou que a sonda pode cair mais cedo do que se imaginava.

Que a sonda está prestes a cair, mais cedo ou mais tarde, não há nenhuma dúvida

“Minha conclusão preliminar é que a Kosmos 482, observada com um telescópio de abertura de 10 polegadas durante variadas passagens, ângulos de visão, ângulos de iluminação e condições de observação, parece ser um objeto alongado com fortes variações de brilho”, relatou Vandebergh. “Há uma indicação de estruturas menores, mas estas não estão confirmadas. Por isso, o mistério sobre a verdadeira condição da Kosmos 482 e quais elementos da espaçonave ainda estão exatamente em órbita continua sem solução”.

Mas que a sonda está prestes a cair, mais cedo ou mais tarde, não há nenhuma dúvida. Nos resta torcer para que a vasta massa de água que cobre o planeta possa ser o alvo da Kosmos 482 e que ninguém, nem ser humano, nem animal, se machuque com isso.