Imagine a reação de um cientista do século 19 se as viagens no tempo fossem possíveis e ele pudesse ser transportado aos dias atuais! Nas últimas décadas, não só a humanidade conseguiu a façanha de viajar até a Lua, como enviou sondas, foguetes e laboratórios sobre rodas a várias partes do Sistema Solar, e construiu telescópios poderosíssimos que permitem que os astrônomos possam inclusive observar “enxergar” astros situados a milhares e até milhões de anos-luz de distância da Terra.

No século 19 já existiam — há muito tempo — dispositivos que os cientistas de então podiam usar para observar o cosmos. No entanto, o que não havia eram equipamentos capazes de capturar imagens em altíssima resolução, em diferentes comprimentos de onda ou que permitissem a digitalização dos objetos observados. E era aí que artistas como o francês Étienne Léopold Trouvelot entravam em ação.

De olho no céu

De acordo com Jennifer Ouellette, do site Ars Technica, Étienne se mudou com a família para os EUA em meados do século 19, depois que Napoleão ascendeu ao poder na França, e iniciou a carreira como ilustrador e artista se dedicando especialmente em retratar imagens naturalistas. Porém, após testemunhar diversas auroras boreais e desenvolver o gosto pela astronomia, o francês começou a criar belas ilustrações astronômicas.

Étienne Léopold Trouvelot Étienne Léopold Trouvelot (Wikimedia Commons/Domínio Público)

Segundo Jennifer, ao longo de sua frutífera carreira, Étienne produziu cerca de 7 mil dessas ilustrações, e elas eram tão boas que chegaram a chamar a atenção do (então) diretor do Harvard College Observatory — complexo que reúne uma porção de instrumentos para observações astronômicas e que até hoje faz parte da Universidade de Harvard — e resultaram em sua contratação.

Uma vez em Harvard, Étienne ganhou acesso a equipamentos muito mais potentes do que os amadores que ele usava — e passou a retratar com a maior fidelidade possível o que esses dispositivos mostravam. O curioso é que, segundo Jennifer, com os avanços tecnológicos e a chegada da fotografia astronômica, Étienne chegou a dizer que as câmeras jamais seriam capazes de substituir o olho humano, portanto, seria interessante poder transportá-lo aos dias atuais e ver se sua opinião continuaria a mesma!

Enfim, as ilustrações que você pode conferir abaixo foram todas criadas a partir de observações de Étienne e apresentadas durante a primeira Exposição Universal, que ocorreu em Filadélfia, nos EUA, em 1876. Veja a seguir:

1 – Júpiter

Júpiter(Étienne Léopold Trouvelot)

Ilustração de 1880.

2 – Saturno

Saturno(Étienne Léopold Trouvelot)

Ilustração de 1874.

3 – Eclipse solar

Eclipse Solar(Étienne Léopold Trouvelot)

Ilustração que retrata o eclipse total do dia 29 de julho de 1878.

4 – Marte

Marte(Étienne Léopold Trouvelot)

Ilustração de 1877.

5 – Mare Humorum

Cratera lunar(Étienne Léopold Trouvelot)

Cratera de impacto situada na Lua em ilustração de 1875.

6 – Aurora boreal

Aurora boreal(Étienne Léopold Trouvelot)

Ilustração de 1872.

7 – Manchas solares

Manchas solares(Étienne Léopold Trouvelot)

Elas já eram conhecidas e observadas no século 19.

8 – Nebulosa de Órion

Nebulosa(Étienne Léopold Trouvelot)

Ilustração de 1875.

9 – Chuva de meteoros

Chuva de meteoros(Étienne Léopold Trouvelot)

Leônidas, em ilustração de 1868.

10 – O Grande Cometa de 1881

Grande Cometa(Étienne Léopold Trouvelot)

Descoberto por John Tebbutt em maio de 1881.

Esta seleção incrível de ilustrações astronômicas foi criada no século 19 via Mega Curioso