O presidente dos Estados Unidos Donald Trump anunciou no mês passado a criação da Força Espacial, a sexta ramificação das Forças Armadas do país norte-americano e passo adiante rumo à militarização do espaço e de uma suposta garantia da supremacia estadunidense neste ambiente.

Agora, a equipe do mandatário dos EUA vem se movimentando para dar vida a iniciativa e, segundo reportagem do site Defense One, o Departamento de Defesa estadunidense já teria iniciado a desenvolver três dos quatro pontos essenciais para a criação da Força Espacial:

  • Um novo comando de combate para o espaço;
  • Uma nova agência conjunta para adquirir satélites para uso militar;
  • Uma nova comunidade de combate para atrair operadores espaciais a partir dos demais ramos das Forças Armadas do país.

Atingir tais objetivos seriam possíveis sem a anuência do Congresso, que ainda não deu o seu aval para a criação da Força Espacial. A última medida necessária para tirar a ideia do papel, porém, envolve questões orçamentárias e de construção de instalações, o que depende do aval dos congressistas. Esse ponto deve ser discutido apenas no início do ano que vem, quando o legislativo decide se aprova (ou não) a proposta orçamentária de Trump para 2019.