NASA escolheu no ano passado um projeto científico criado por estudantes brasileiros do ensino fundamental para ser testado na Estação Espacial Internacional (ISS, no original em inglês). O “cimento espacial”, que usa plástico feito de cana-de-açúcar, pode ser utilizado em construções espaciais no futuro e entrará em órbita oficialmente nesta sexta-feira (29), em voo da SpaceX.

A ideia é descobrir como a microgravidade afeta o processo de endurecimento do cimento mesclado com plástico e água. O conceito foi criado por estudantes de 12 e 13 anos do Colégio Dante Alighieri, da Escola Municipal Perimetral e do Projeto Âncora, de Cotia, colégios da grande São Paulo. Eles participaram de um concurso do governo norte-americano e foram selecionados entre 10 mil inscritos.

A equipe estará presente nesta quinta-feira (28) durante a exibição do “cimento espacial, em solenidade no Smithsonian National Air and Space Museum, em Washington. Os alunos precisaram reunir R$ 20 mil para custear a viagem e estar ao lado de outros jovens canadenses e estadunidenses, entre representantes da NASA.

Qual é o experimento com esse “cimento espacial”?

A hipótese considerada pelos estudantes é de que o cimento com o plástico verde vai se comportar de forma semelhante ao que acontece na Terra. Para testar o projeto, foram preparados dois tubos iguais — um vai para a ISS, e o outro fica no laboratório terrestre.

Cada um será dividido em duas partes por presilhas: uma com água e outra com a mistura. Ao término da expedição de aproximadamente 30 dias, o material que foi para órbita retorna o solo e será comparado com o que ficou por aqui.

projeto brasileiro espaçoEquipe de estudantes que fazem parte do projeto

Se o conceito der certo, ele pode abrir inúmeras frentes para a produção avançada de objetos no espaço, a partir dessa matéria-prima proposta pelos brasileiros — e isso pode até mesmo ajudar em uma futura colonização de outros planetas, a exemplo de Marte.