Poucos planetas do nosso sistema solar fascinam mais a humanidade do que Marte. É fato que a proximidade do astro com a Terra nos permite sonhar com missões tripuladas ao Planeta Vermelho em um futuro nem tão distante assim. Isso também faz dele um alvo de estudo intenso por quem busca sinais de vida fora do nosso mundo.

Embora dificilmente encontraremos algo na superfície inóspita do planeta, um novo estudo, feito por pesquisadores da Universidade de Edimburgo em parceria com a NASA, apontou o caminho para procurarmos possíveis fósseis marcianos.

Um planeta vermelho.

A equipe acredita que as rochas sedimentares, formadas em Marte há três ou quatro bilhões de anos, são a nossa melhor chance de encontrar restos fossilizados de micróbios. Isso porque essas rochas são ricas em ferro e sílica, responsáveis pela preservação de fósseis. A equipe também acredita que elas podem estar em um estado de preservação bem melhor que o dos fósseis terrestres, já que a superfície de Marte não está sujeita aos movimentos de placas tectônicas.

Essa descoberta deve servir como guia para as próximas missões não-tripuladas que colherão materiais do planeta. A NASA pretende mandar uma nova sonda ao astro em 2020, enquanto a Agência Espacial Europeia tem planos parecidos também para os próximos anos.

Como era financeiramente inviável mandar robôs para todos os pontos interessantes de Marte, pesquisas como essa serão essenciais para reduzir as áreas a serem investigadas. Não vai ser hoje que iremos encontrar seres vivos gerados em outro planeta, mas é a chance mais próxima que temos de descobrir de uma vez por todas que, em algum momento, não estivemos sozinhos no universo.

Estudo aponta o melhor lugar para procurar por fósseis em Marte via Mega Curioso

Cupons de desconto TecMundo: