Originalmente programado para a última segunda-feira (16), o lançamento do satélite “caçador de planetas” TESS, da NASA, a agência espacial dos Estados Unidos, finalmente aconteceu às 19h51 desta quarta-feira (18). E quem levou o equipamento às alturas foi um foguete Falcon 9, da SpaceX. Apesar do atraso, a agência já havia garantido que ele estava pronto desde o último dia 13.

Desenvolvido entre a agência e o Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT), o novo satélite artificial vasculhará o espaço durante dois anos, mirando as suas lentes para cerca de 20 mil exoplanetas, ou seja, planetas fora do sistema solar. Mas não só isso: a ideia, aponta a própria NASA, é encontrar planetas que sejam semelhantes à Terra.

O TESS, sigla para Transiting Exoplanet Survey Satellite (ou Satélite de Pesquisa de Exoplanetas em Trânsito), é o sucessor do lendário Kepler e será a primeira ferramenta de busca por exoplanetas totalmente baseada no espaço. Ele utiliza informações obtidas pelo Kepler para trafegar pela órbita de estrelas a menos de 300 anos-luz de distância da Terra.

Falcon 9Falcon 9 rumo ao espaço e carregado com o TESS.

Após o pontapé inicial de ontem, ele levará 60 dias até alcançar a sua órbita, de onde partirá em busca de exoplanetas.  Depois do lançamento, o foguete Falcon 9 já conseguiu pousar na superfície terrestre novamente — este foi o 24º pouso realizado pela companhia de Elon Musk.

Quem estiver mais interessado no projeto TESS pode conferir informações diretamente no blog do programa e também em sua conta oficial no Twitter.