Uma coisa que todo mundo sabe sobre os átomos é que eles são extraordinariamente minúsculos, certo? Outra coisa que todo mundo aprende sobre os átomos é que eles representam as formas mais básicas de todos os elementos químicos e consistem na unidade fundamental da matéria. Essas partículas compõem tudo o que existe no Universo — desde nebulosas a sistemas planetários, passando pelo nosso planeta e tudo o que existe nele, incluindo as células que formam os nossos corpos.

Estrutura de um átomoTodo mundo já viu uma representação como essa, né? (Elements Wiki)

E você alguma vez já viu um único átomo? Todos nós já vimos ilustrações dessas partículas, geralmente na forma de uma esfera — que representa o núcleo, composto por prótons e nêutrons — rodeada por outras esferas menores, os elétrons, né? Mas, e uma foto mesmo, mostrando um átomo de verdade, você já viu? Pois um cientista chamado David Nadlinger, da Universidade de Oxford, conseguiu a proeza de retratar um único átomo e, por sua façanha, venceu uma prestigiosa competição fotográfica organizada no Reino Unido.

Façanha

Nadlinger é um cientista que se dedica a fazer pesquisas sobre computação quântica e o retrato do átomo foi capturado durante um de seus experimentos. Mais especificamente, a imagem que você pode ver a seguir mostra um átomo de estrôncio “preso” em um equipamento conhecido como armadilha de íons. Talvez você precise forçar um pouquinho a vista para identificar a partícula ali no meio, mas, incrivelmente, ela está lá!

Foto de um átomoTá bem ali no meio (National Geographic/David Nadlinger/Universidade de Oxford)

Para você ter uma ideia, o átomo se encontra entre as pontinhas de duas agulhas que estão separadas uma da outra por cerca de dois milímetros. Caso você tenha ficado curioso sobre o funcionamento do equipamento usado por Nadlinger, a armadilha de íons consiste em uma câmara de vácuo e a partícula se mantém suspensa graças aos campos elétricos emitidos por eletrodos de metal situados ao redor do átomo. Veja a imagem com mais detalhe a seguir:

Foto de um átomoViu agora? (Inverse/David Nadlinger/Universidade de Oxford)

Já para ajudar na visualização da partícula, o átomo foi iluminado por meio de um laser azul-violeta, e a foto foi registrada por meio de uma câmera convencional que Nadlinger montou sobre um tripé e programou para capturar as partíclas de luz refletidas pelo átomo usando a longa exposição. Essa luz refletida é centenas de vezes maior do que o átomo propriamente dito, mas, ainda assim, o resultado do experimento foi que o pesquisador conseguiu o feito inédito de obter uma fotografia de um minúsculo pontinho azulado brilhante — que representa o átomo de estrôncio.

Cristais de estrôncioCristais de estrôncio (Wikimedia Commons/Alchemist-hp)

A imagem, conforme contamos no início da matéria foi a grande vencedora um prestigioso concurso fotográfico — organizado pelo Engineering and Physical Sciences Research Council (EPSRC) — e você pode conferir a seguir mais imagens que também participaram da competição:

Impressão 3DDiversas estruturas de alumínio criadas a partir de uma impressora 3D (Gizmodo/Sam Catchpole-Smith/Universidade de Nottingham)

Bolha de gásNúcleo gasoso envolto por uma camada biocompatível (Gizmodo/Estelle Beguin/Universidade de Oxford)

Bolhas de sabãoComportamento de bolhas de sabão registrado durante um estudo sobre a formação de espuma (Gizmodo/Li Shen/Imperial College London)

Polímeros diferentesDiferentes formatos de determinados polímeros (Gizmodo/Mahetab Amer/Universidade de Nottingham)

Robô fazendo uma selfie Robô fazendo uma selfie (Gizmodo/Luke Cramphorn/Universidade de Bristol)

Inacreditável: retrato de um único átomo vence badalado prêmio fotográfico via Mega Curioso

Já para ajudar na visualização da partícula, o átomo foi iluminado por meio de um laser azul-violeta, e a foto foi registrada por meio de uma câmera convencional que Nadlinger montou sobre um tripé e programou para capturar as partíclas de luz refletidas pelo átomo usando a longa exposição. Essa luz refletida é centenas de vezes maior do que o átomo, mas, o resultado do experimento foi que o pesquisador conseguiu o feito inédito de obter uma fotografia de um minúsculo pontinho azulado brilhante — que representa o átomo de estrôncio.
Já para ajudar na visualização da partícula, o átomo foi iluminado por meio de um laser azul-violeta, e a foto foi registrada por meio de uma câmera convencional que Nadlinger montou sobre um tripé e programou para capturar as partíclas de luz refletidas pelo átomo usando a longa exposição. Essa luz refletida é centenas de vezes maior do que o átomo, mas, o resultado do experimento foi que o pesquisador conseguiu o feito inédito de obter uma fotografia de um minúsculo pontinho azulado brilhante — que representa o átomo de estrôncio.