Ainda não temos provas concretas de que existe vida inteligente fora da Terra, mas a probabilidade de isso existir é bastante palpável. Afinal, são milhões de planetas rochosos com características similares às do nosso espalhados só na nossa galáxia, nos quais a vida poderia ter prosperado a exemplo do que aconteceu aqui. Por conta disso, cientistas do SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence – busca por vida extraterrestre inteligente) enviaram uma nova mensagem ao espaço esperando fazer contato com alienígenas.

Essa mensagem foi enviada em outubro deste ano a partir do transmissor Eiscat, localizado em Tromsø, Noruega. As ondas de rádio foram direcionadas ao planeta GJ273b, 12 anos-luz distante da Terra. Por conta disso, a mensagem vem sendo chamada de “Sonar Calling GJ273b”. Caso recebamos uma resposta, ela demorar 25 anos ou mais para chegar.

O planeta em questão orbita uma estrela anã-vermelha identificada como GJ 273. Popularmente, ela é conhecida como “Estela de Luyten”, parte da constelação de Canis Minor. O destino da mensagem foi escolhido por conta da sua boa visibilidade a partir do hemisfério norte da Terra. Contudo, o planeja mais próximo de nós com características habitáveis para formas de vida semelhantes à humanidade é o Proxima b, há 4 anos-luz de distância.

Probabilidade

Se nós recebermos uma resposta vinda da Estrela de Luyten, significa que a Via Láctea está repleta de vida

“Em termos práticos, se nós recebermos uma resposta vinda da Estrela de Luyten, significa que a Via Láctea está repleta de vida”, disse Doug Vakoch, presidente e fundador do SETI, à CNET. “É mais provável que nós tenhamos que mirar em não apenas uma estrela, mas centenas, milhares delas, ou mesmo milhões, até conseguirmos uma resposta de volta”, comentou.

A primeira mensagem enviada a fim de encontrar vida inteligente fora da Terra foi enviada em 1974, conhecida como “Mensagem de Arecibo”, que deve levar cerca de 25 mil anos-luz para chegar ao seu destino, o conjunto estelar M13.

Cupons de desconto TecMundo: