O grafeno vem sendo cogitado há anos como substituto natural do silício na criação de componentes eletrônicos por conta da sua alta condutividade. Estima-se que, só com esse novo material é que poderemos ter computadores quânticos poderosos de verdade e de menor tamanho. Por isso, os resultados do projeto liderado pelos professores Feng Ding e Rodney Ruoff, do Instituto de Ciências Básicas da Coreia do Sul, foram recebidos com surpresa entusiasmo.

Com ajuda de seus colegas de projeto, eles conseguiram criar cristais contíguos de grafeno com 50 cm de comprimento e 5 cm de largura. Esses são os maiores cristais perfeitos já criados com base nesse material. Antes disso, as melhores marcas não passavam da casa dos milímetros sem perder muito do seu alinhamento. Os cristais feitos pelo projeto citado são praticamente perfeitos, com alinhamento de 99,9%, outra meta nunca atingida em grande escala.

Placas de cobre com cristais perfeitos de grafeno

I melhor de tudo isso é que a fabricação desses cristais é simples e rápida utilizando o método descoberto pela dupla de professores. Essencialmente, eles criaram uma placa de cobre perfeita que serviu de base para o cristal de grafeno. Colocando o material sobre o cobre aquecido a 1.030°C, os átomos de carbono (que formam o grafeno) se alinharam perfeitamente seguindo o padrão dos átomos de cobre abaixo.

Os átomos de carbono se alinharam perfeitamente seguindo o padrão dos átomos de cobre

Isso quer dizer que a constituição molecular do carbono serviu como molde para o grafeno se organizar e apresentar uma taxa de perfeição ou pureza inimaginável. O procedimento completo tem duração estimada de 20 minutos e, quando houver algum processo industrial para essa fabricação, o tempo talvez possa ser reduzido ainda mais.

Sem limites

É interessante notar também que a única limitação encontrada foi o tamanho da placa de cobre. Contudo, Ding e Ruoff escreveram em um artigo que não é possível encontrar a peça com a qualidade necessária no mercado.

“O segredo para se obter um cristal contíguo de grafeno em grandes proporções é ter um cristal de cobre perfeito para usar como base. Contudo, essas placas de cobre perfeitas em grandes tamanhos não estão disponíveis no mercado, então laboratórios precisam fabricar isso através de seus próprios meios”, disse Ding.

Ainda não há uma expectativa para aplicar esses grandes cristais na indústria eletrônica, mas, quando esse procedimento for adotado, teremos uma grande revolução computacional em nossas mãos, tanto na questão de velocidade de processamento quanto no consumo de energia.

Cupons de desconto TecMundo: