No ano passado, a descoberta de uma planeta com o tamanho da Terra deixou a comunidade científica entusiasmada. O Proxima b, que orbita a estrela vizinha do Sol, a Proxima Centauri, fica a 4,2 anos-luz e é o exoplaneta mais próximo de nós detectado até hoje. O interesse sobre esse novo mundo e seu potencial para abrigar vida resultaram em um acordo para ampliar a busca por astros no sistema estelar adjacente.

O European Southern Observatory (ESO) assinou um contrato com o Breakthrough Initiatives — programa criado em 2015 pelo físico Yuri Borisovich, fundador da Digital Sky Technologies — para arrecadar fundos e aprimorar o Very Large Telescope (VLT), montado no Chile. Com isso, o instrumento VISIR (VLT Imagerand Spectrometer for Mid-Infrared) deve receber melhorias e aumentar a qualidade de imagem.

Encontrar um planeta habitável é muito difícil por causa do brilho da estrela hospedeira, que ofusca a visibilidade. Com as melhorias no VISIR, será possível reduzir a radiação e ampliar o sinal de possíveis astros terrestres. Saber onde eles se encontram é essencial para a primeira missão rumo ao Alfa Centauri, pois assim o programa de pesquisa e engenharia Breakthrough Starshot, lançado em 2016, poderá assinalar um destino próximo nos anos subsequentes.

Cupons de desconto TecMundo: