A montadora Faraday Future apresentou durante a conferência da empresa na CES 2016 o FFZERO1, um carro conceitual que deixa fãs de automóveis com a respiração pesada tamanha a ansiedade. Se você nunca ouviu falar da marca, não se preocupe: ela só explodiu mesmo agora, mas deve ser muito mais reconhecida daqui em diante.

O modelo é bastante futurista e tem um "quê" de Batmóvel — todas "viagens" bastante compreensíveis no design, já que o modelo não deve ver a luz do dia e servir apenas como base para lançamentos futuros.

Com 1.000 de horsepower e velocidade máxima de 321 km/h, esse modelo elétrico tem assinatura de Richard Kim, que desenhou também as BMWs i3 e i8. Com a parte superior totalmente de vidro, rodas quase grudadas na estrutura e uma estranha linha vermelha que corta o carro pela metade, o modelo é tão fora do comum que você mal sabe por onde o motorista pode entrar.

Ele tem apenas o banco do motorista e é pensado com foco em corridas. O assento tem inclinação de 45º, ângulo ideal para o condutor de acordo com um engenheiro da NASA consultado pela companhia.

O volante apresenta um smartphone acoplado para navegação e coleta de dados, ajudando o veículo a criar ambientes de realidade virtual ao seu redor. Além disso, o descanso para a cabeça no banco é capaz de jogar ar e água no capacete do motorista. Por algum motivo, o carro ainda é construído para lidar com situações de microgravidade — não que você vá pilotá-lo no espaço, claro.

"Tão revolucionária quanto o iPhone"

A segunda novidade da Faraday Future não é um veículo, mas a tecnologia que permite a fabricação de um. Trata-se de uma arquitetura de plataforma variável (VPA, na sigla original), uma espécie de "receita de bolo" que cria uma base para que diferentes automóveis sejam construídos. A partir dela, a empresa pode fazer personalizações e dar vida a diferentes modelos de todos os formatos, de carros conceituais ou esportivos a SUVs.

Enquanto o FFZERO1 não será produzido de verdade, essa é a grande aposta concreta da Faraday Future. Segundo o vice-presidente sênior Nick Sampson, a ideia é ser tão revolucionário com a VPA quanto a Apple foi com o iPhone para a indústria de celulares. "Ela não só redefiniu os telefones, ela transformou a forma como nos comunicamos, organizamos e apreciamos nossas vidas. Isso é o que a Faraday Future espera fazer", afirmou.

A Faraday Future tem base na Califórnia, mas é financiada por investidores chineses. Tudo isso significa que a Tesla, grande nome de inovações em termos de veículos elétricos, agora tem uma concorrente com a qual deveria se preocupar.

A Faraday Future pode competir de igual para igual com a Tesla? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: