A família de celulares “Moto” da Motorola agora possui representantes em todas as categorias. O primeiro foi o Moto X, um aparelho de alto desempenho.

Logo depois dele veio o Moto G, para ocupar a categoria intermediária, e agora chegou a vez do Moto E mostrar que pode dominar a categoria de aparelhos de entrada.

Mas você sabe quais são as diferenças entre todos esses aparelhos? Qual deles possui os recursos que mais interessam para você? Qual deles vale mais pelo preço que custa? Nós colocamos os três modelos lado a lado e vamos apontar esses detalhes.

Especificações

Design

O design dos três aparelhos é semelhante, mas com diferenças fundamentais na estrutura. A primeira delas é a tela, que aumenta 0,2 polegada de um modelo para outro.

Enquanto o menor de todos é o Moto E, os dois outros aparelhos possuem quase o mesmo tamanho; a diferença é que a proporção da tela para a carcaça é mais bem aproveitada no Moto X.

Moto E e Moto G possuem praticamente a mesma espessura, enquanto o Moto X é o mais fino de todos. Na parte da tela também podemos reparar na posição dos alto-falantes: o Moto E é o único à prova de respingos dos três, por isso as barras metalizadas protegendo microfone e alto-falante.

Na parte traseira, todos possuem o mesmo formato curvo. Em todos os três modelos a entrada para fones de ouvido é em cima, enquanto o conector micro USB fica embaixo.

Nenhum dos três modelos pode ter a bateria removida pelo usuário, mas o Moto E e o Moto G podem ter a carcaça traseira substituída por versões de outras cores. Por outro lado, a ausência dessa característica deixa o Moto X com aspecto bem mais sólido, uma vez que ele não pode ser desmontado.

Quanto ao peso, tanto o Moto E quanto o Moto G possuem 143 gramas. Já o irmão maior dos dois, o Moto X, é o mais leve: ele pesa apenas 130 gramas.

Tela

Além de tamanhos diferentes, as telas também possuem resoluções diferentes. Isso garante a cada uma delas uma densidade de pixels particular, e é justamente aí que se encontram algum dos principais detalhes para garantir a boa qualidade da imagem.

Moto G e Moto X possuem resolução HD (720x1280 pixels), o que significa que o Moto G tem a maior densidade de pixels por polegada entre os três modelos. Isso acontece porque sua tela é 0,2 polegada menor que a do Moto X.

Além disso, existe outro fator que pode influenciar na qualidade da imagem: a tecnologia da tela. O Moto E é o mais simples de todos, por isso trabalha com um painel LCD comum, com menos brilho e menor contraste entre as cores.

O Moto G utiliza um painel LCD do tipo IPS, o que garante a ele melhores cores e brilho. Já o Moto X trabalha com o AMOLED — tecnologia que é mais comum nos aparelhos da Samsung.

Ambos os modelos possuem excelente qualidade visual, mas o AMOLED é conhecido por mostrar cores com muito mais contraste, o que deixa os dois em um empate técnico em termos de qualidade.

Há quem prefira as cores mais naturais do IPS e há quem goste mais das cores mais vivas do AMOLED.

Hardware e desempenho

Os três aparelhos pertencem a categorias diferentes e naturalmente possuem  hardwares distintos, porém fabricados pela Qualcomm.

O Moto X lidera com o hardware mais parrudo, seguido pelo Moto G. O Moto E fica em último lugar, como já era esperado.

A surpresa vem com a comparação dos aparelhos: todos utilizam o Android KitKat em sua versão mais pura, o que garante um bom desempenho a todos eles.

Quando colocados lado a lado para rodar aplicativos normais, como mapas, internet e redes sociais, temos um desempenho bastante parecido entre eles. É rápido executar e alternar entre os programas em todos os três aparelhos.

É claro que em aplicações mais pesadas a balança tende a pesar para o lado do hardware mais potente. Um exemplo disso são programas que precisam de muita memória, que se saem melhor no Moto X por causa dos 2 GB de memória RAM encontrados do aparelho.

Falando de opcionais: o Moto E possui rádio e televisão; o Moto G apenas rádio; já o Moto X não possui nenhum desses recursos.

Armazenamento

O armazenamento é um ponto importante a ser discutido, e nessa o Moto E acaba ficando bem atrás de seus irmãos maiores por possuir apenas 4 GB de memória. A Motorola incluiu um sistema que permite que alguns aplicativos sejam movidos para o cartão micro SD depois de instalados, mas isso não resolve completamente o problema, já que todos os programas ainda precisam armazenar arquivos de algum tipo na memória principal.

O Moto G saiu de fábrica em modelos com 8 e 16 GB, mas as novas versões agora também aceitam cartões de memória. Já o Moto X não aceita cartões micro SD, mas existe em versões com 16 e 32 GB de capacidade, o que pode ser considerado suficiente para que não existam problemas de espaço.

Câmera

A câmera do Moto X ganha fácil dos seus dois irmãos menores, e isso é normal, já que é o aparelho mais poderoso dessa linha. Ela oferece muitos recursos exclusivos, como foco automático, LED flash e HDR.

Além disso, uma tecnologia exclusiva garante que o sensor de 10 megapixels consiga trabalhar com pixels maiores, aumentando a detecção de luz e garantindo cores mais vivas. O Moto X também é capaz de gravar vídeos em qualidade Full HD. 

Tanto Moto E quanto Moto G possuem câmeras de 5 megapixels, mas isso não significa que elas são iguais. Para começar, a câmera do Moto G possui foco automático, filma em HD e possui muitos outros recursos, enquanto a do Moto E trabalha com foco fixo, grava apenas em baixa definição e é bastante limitada. O Moto E é o único que não possui câmera frontal como seus irmãos maiores.

Veja nas três galerias a comparação de fotografias batidas com os três aparelhos.

Moto E

Moto G

Moto X

Conectividade

Os três aparelhos possuem conectividade 3G, mas o Moto E é o único que não possui 4G, já que o Moto G acaba de ganhar versões com suporte a essa tecnologia. No caso da WiFi, Moto G e Moto E empatam em quase todos os recursos, mas ficam atrás do Moto X, que consegue oferecer compatibilidade com WiFi dual band.

Os três modelos possuem Bluetooth, mas somente Moto E e Moto G possuem suporte para dois chips SIM, o que faz deles aparelhos mais versáteis. O GPS dos três também é o mesmo, com suporte às tecnologias mais avançadas.

Qual é melhor?

Se lhe perguntassem qual desses aparelhos é melhor, em um primeiro momento você poderia dizer: “É o Moto X, é claro, ele possui mais poder”.

Contudo, não é bem assim que funciona. O “poder” de cada aparelho está no que ele pode fazer com o que tem. No caso do Moto X, sim, ele possui um hardware mais potente. Mas ele custa bem mais caro que seus irmãos menores.

Enquanto ele pode ser encontrado por uma média de preço que fica na casa dos R$ 1.100, o Moto G pode ser adquirido por R$ 650, pouco mais que a versão com TV do Moto E, que custa R$ 600. O Moto E ainda fica mais barato quando vemos a versão sem TV: R$ 529, ou seja, cerca de metade do que custa o Moto X.

Essa diferença de preços é natural, uma vez que cada aparelho pertence a um nicho de mercado diferente. Na categoria de dispositivos de entrada, o Moto E cumpre muito bem o seu papel, oferecendo um bom desempenho em troca de quanto custa.

Já o Moto G se apresenta uma alternativa interessante em termos de custo x benefício: ele traz um número razoável de recursos a mais que seu irmão menor, custando uma pequena parcela a mais. E é justamente entre esses dois aparelhos que a briga esquenta, já que o Moto X apresenta o maior desempenho geral, mas custa bem mais caro.

Nessa briga, vale buscar aquele que mais vai satisfazer as suas necessidades: não adianta querer economizar se você precisa de um hardware robusto, e da mesma forma não adianta investir no modelo mais top se você utiliza o aparelho apenas para tarefas básicas.

Para concluir: o melhor aparelho é aquele que mais combina com você.

Não deixe de conferir a análise completa de todos esses aparelhos no TecMundo clicando nos links a baixo.

Cupons de desconto TecMundo: