(Fonte da imagem: Reprodução/Umeng)

Um relatório divulgado nesta semana pela Umeng mostra que o número de smartphones, phablets e tablets ativos na China é de 700 milhões. O número chama atenção porque no início de 2013 a mesma pesquisa apontava um número de 380 milhões dispositivos – o que representa um crescimento de quase 100% em apenas um ano.

Entre esses aparelhos, 57% podem ser considerados de baixo custo, ou seja, custam no máximo US$ 330 (o equivalente a R$ 768). Apenas 16% possuem aparelhos da faixa intermediária de preço, com custo entre US$ 330 e US$ 499 (o equivalente a R$ 1.162). Por fim, 27% dos consumidores têm aparelhos que custam mais de US$ 500. Nesta última categoria, 80% dos aparelhos são iPhones. Já nas demais categorias o domínio do Android é absoluto.

Samsung e Xiaomi dominam o mercado de Android

Se levarmos em consideração apenas os smartphones que contam com o Android como sistema operacional, maioria absoluta no país, apenas duas fabricantes são responsáveis pelos dez aparelhos mais vendidos por lá: Samsung e Xiaomi. A empresa sul-coreana tem seis dos dez smartphones mais usados no país; a chinesa Xiaomi tem os outros quatro.

(Fonte da imagem: Reprodução/Umeng)

A liderança no segmento “dispositivos com Android” é da Samsung, que detém 24% do mercado. A Lenovo está na segunda posição com 8%, mesmo percentual da Huawei. A Xiaomi é a quarta colocada com 7% e a HTC vem em quinto com 5%. A fragmentação é tão grande no mercado chinês que, além das dez primeiras colocadas, outras marcas menores juntas detêm 30% dos consumidores. 

Cupons de desconto TecMundo: