O Bloodhound SSC, veículo britânico que está sendo desenvolvido para quebrar o recorde de velocidade sobre a terra, vai começar a “abrir suas asinhas” nos dias 26, 28 e 30 outubro, nos primeiros testes que serão conduzidos na pista do aeroporto Newquay.

A expectativa do time por trás do projeto é fazer com que o veículo, que é equipado com uma turbina EJ200, feita pela Rolls-Royce e que equipa o caça Eurofighter Typhoon, é que o veículo consiga atingir com segurança a marca de “apenas” 320 km/h.

Acredite ou não, isso é bem pouco perto do objetivo final da empreitada supersônica: estabelecer o novo recorde mundial de velocidade na terra, chegando aos 1.600 km/h. O recorde anterior foi estabelecido em 1997 pelo veículo supersônico Thrust, que alcançou a marca de 1.227,985 km/h no deserto de Black Rock, nos Estados Unidos.

Na ocasião, ele estava sob o comando de Andy Green, piloto de caça da Força Aérea Real Britânica, que também vai pilotar o Bloodhound SSC na busca pela quebra de seu próprio recorde.

A tentativa definitiva, que já deveria ter acontecido em 2015, foi postergada para 2018.

Depois da pista de pouso no aeroporto, o veículo segue para uma pista de 17 quilômetros desenvolvida especialmente preparada para a tentativa, localizada em Hakskeen Pan, na África do Sul.

Serão duas tentativas: a primeira vai tentar alcançar 1287,47 km/h, enquanto a segunda vai mirar no objetivo final dos 1.600 km/h. Para isso, o veículo vai ser equipado com um motor adicional que vai leva-lo a uma potência máxima equivalente a 180 carros de Fórmula 1 e deverá acelerar a de 0 a 100 em menos de um segundo, alcançando sua velocidade máxima em 55 segundos.

As rodas do veículo serão feitas em alumínio, já que pneus de borracha convencionais nunca suportariam a força exercida.

Se você ficou interessado e vai calhar de estar por perto de Newquay, pode comprar os ingressos para acompanhar os testes públicos: basta acessar o site e pagar as 70 libras pedidas, o que dá cerca de R$ 294.