O Salão Internacional do Automóvel aconteceu aqui no Brasil, mas foram as montadoras alemãs que foram os grandes destaques do evento e a BMW provou isso. A marca levou um elenco de peso para o SP Expo, com sedãs de luxo, esportivos e elétricos.

O grande destaque no palco, no entanto, havia sido revelado há pouquíssimo tempo em Paris: o conceito X2 é uma das apostas da BMW para o mercado nacional e fez sua estreia na América. A chegada do novo crossover faz com que a família X fique completa, devidamente numerada de 1 a 6.

Nós falamos da BMW X2 por aqui, mas vale sempre a pena relembrar: compartilhando a plataforma UKL com a irmã menor, a X1 atual. Nenhum detalhe técnico foi dado a respeito da parte mecânica, mas o foco da marca para esse modelo específico é outro: o design.

O visual do crossover está mais esportivo e alinhado a identidade visual atual da BMW, mas traz algumas mudanças sutis, como é o caso das tomadas de ar mais baixas e das grades dianteiras maiores. A traseira traz uma linha mais elevada e o conjunto óptico do veículo é bem mais fino.

O modelo, inclusive, já foi confirmado para chegar aqui no Brasil em 2018.

Fora dos holofotes do palco, a BMW também caprichou as exibições de seus modelos da divisão esportiva M. Começando pelo hatchback M140i, que recebeu um tapa no motor de seis cilindros 3.0 e que agora gera 340 cavalos.

Um dos coupés esportivos mais queridos dos gearheads do últimos tempos, a M2, também marcou presença. O modelo, que veio para substituir a 1M Coupé, vem com o mesmo motor da M140i, só que com 370 cavalos e entregando 47,4 kgfm de torque.

Pertinho dali, a tradicionalíssima M3 estava exposta e ostentando um laranja nada discreto. O sedã abandonou o motor V8 por um seis cilindros 3.0 turbo de 43 cavalos e impressionantes 56 kgfm de torque que já começam a ser entregues a partir das 1.800 rotações.

Fechando a lista dos veículos que se alimentam de combustível convencional estava a representação máxima de luxo que a BMW pode oferecer: o sedã titânico 750Li com o pacote M Sport. Custando mais de R$ 700 mil, o modelo traz um V8 biturbo 4.4 de 450 cavalos e 66,2 kgfm de torque, necessários para empurrar as quase 2 toneladas de peso de 0 a 100 km/h em apenas 4,7s.

A performance, no entanto, não é o destaque aqui: a central multimídia da 750Li pode ser controlada através de gestos, sem a necessidade de tocar o painel, e a chave do carro parece mais um smartphone que permite, inclusive, que você controle o carro remotamente para frente e para trás, como uma assistência de estacionamento.

A diversão, no entanto, não é para o motorista: no banco de trás do sedã de luxo, o ocupante conta com um banco reclinável e que tem função de massagem. Esses ajustes, bem como a parte de climatização e rádio, podem ser controlados através de um tablet.

Existe inclusive uma função que afasta o banco do passageiro para frente e deixa você numa posição parecida com a de uma poltrona da primeira classe de um avião e é claro que tem um compartimento refrigerado para você guardar sua champanhe. Ah, e o teto solar também tem uma função que simula um céu estrelado.

Mas, depois desse banho de tecnologia a serviço da comodidade, a BMW reservou também um espacinho para seus modelos que incorporam a tecnologia para o meio-ambiente (e para a diversão também): o elétrico i3, que já teve 60 mil unidades vendidas em todo mundo, e o híbrido i8 foram presenças marcantes no estande.

Para fechar, os executivos falaram durante a coletiva de imprensa a respeito de como a marca está desempenhando no Brasil: a fábrica em Araquari está completando seu segundo ano e 25 mil carros produzidos, com modelos da série 1 e 3, os crossovers X1, que já teve 10 mil unidades exportadas para os Estados Unidos, e o X3 e o Mini Countryman.

A marca também vai passar a oferecer um serviço de blindagem certificado para os veículos da série 3 e X3 que não vai afetar a dirigibilidade.

Cupons de desconto TecMundo: