(Fonte da imagem: Reprodução/Bitcointalk.org)

O governo russo, através de um comunicado oficial emitido pela Procuradoria Geral da Nação e divulgada pela Reuters, efetivamente proíbe o uso da moeda virtual Bitcoin dentro do país, e caracteriza como suspeitas todas as transações que utilizem cotações alternativas ao rublo russo.

Em nota, o comunicado informa que “sistemas de pagamentos anônimos e moedas virtuais que ganharam considerável circulação — incluindo o mais conhecido, Bitcoin — são substitutos do dinheiro e não podem ser usados por pessoas físicas ou jurídicas”.

De acordo com o governo russo, a prática econômica com moedas alternativas abre espaço para uma série de atividades ilícitas, incluindo lavagem de dinheiro e financiamento de terrorismo.

O anúncio não significa que qualquer negociação com o Bitcoin seja caracterizada como crime, nem a polícia russa vai perseguir qualquer transação com a moeda, mas deixará as pessoas em uma lista de alerta e vigilância. De acordo com o Artigo 27 da Constituição Russa, é proibida a utilização de qualquer outra unidade monetária que não o rublo.

A questão da legalidade

A decisão da Rússia em soltar esse comunicado segue uma série de polêmicas e discussões envolvendo o Bitcoin. Recentemente, outros países, como a China e o Canadá, descaracterizaram a legalidade da moeda virtual em seus territórios.

A questão envolvendo o Bitcoin não se justifica apenas pelas práticas ilícitas que podem ser negociadas com esse dinheiro de forma anônima, mas há também a alta volatilidade da cotação, além de ataques de phishing e problemas técnicos que suspenderam o serviço nos últimos dias.

O futuro da moeda continua a ser questionado e debatido, e quanto mais a confiança nessa prática financeira é criticada, maior é o risco para quem investe nessa cotação.

Cupons de desconto TecMundo: