Atualmente, tudo é “conectado”. O conceito se expande a praticamente todos os elementos que têm algum componente eletrônico – carros inclusive. Um Jeep Cherokee passou por maus bocados com toda essa tecnologia. Basicamente, uma brecha no sistema conectado da Fiat Chrysler permite que hackers o invadam e controlem o veículo remotamente.

A vulnerabilidade que um sistema dessa natureza tem dá espaço para hackers executarem uma série de ações ousadas, inclusive desligar o motor e, no caso de câmbios automáticos, desabilitar a aceleração e os freios. Charlie Miller e Chris Vasalek, uma dupla de pesquisadores de segurança de computadores de Saint Loius, cidade localizada no estado de Missouri, nos EUA, trouxeram esses resultados em um teste realizado pelo Wired.

Os pesquisadores demonstraram as fraquezas de um sistema de automóvel com conectividade de celular instalada em mais de 470 mil veículos daquele país. Mas a demonstração foi mais vívida do que muitos poderiam imaginar: os caras exploraram a vulnerabilidade do sistema atacando um Jeep Cherokee equipado com uma rede Uconnect remotamente.

Entenda o sistema

Uconnect é o nome que se dá ao sistema de carro conectado presente em alguns veículos produzidos pela Fiat Chrysler para o mercado norte-americano. O sistema utiliza a rede Sprint para se conectar à internet e permite que os usuários interajam com seus veículos através do smartphone, executando tarefas como ligar o carro, obter a localização dele por meio do GPS e até mesmo acionar recursos antirroubo.

A vulnerabilidade consiste em basicamente dar brecha para que um hacker invada a rede em veículos equipados com o Uconnect. De acordo com os pesquisadores, o sistema interno dos carros pode ser acessado via IP, permitindo que o motor seja ligado e desligado, que os freios parem de funcionar e que até mesmo o painel com display e entretenimento seja exibido ao hacker.

Miller e Valasek também descobriram que é possível assumir o controle remoto do volante em alguns casos – algo que dá domínio absoluto sobre um veículo invadido.

A Fiat Chrysler alertou seus clientes sobre a vulnerabilidade dos veículos na última semana e disponibilizou um patch de correção que deve ser instalado manualmente nos veículos a partir de uma conexão USB.

Pois é. Agora, é preciso “atualizar” os carros. Já já começam a sair antivírus para eles, quem sabe...

O que você acha dos carros conectados? A ideia pode vingar ou se tornar perigosa? Comente no Fórum do TecMundo.

Cupons de desconto TecMundo: