Um grupo que declara simpatia aos jihadistas do Estado Islâmico invadiu as contas do Twitter e do YouTube do Comando Central Americano (Centcom) nesta segunda-feira (12/01), e publicou na internet documentos internos com dados pessoais de oficiais, como endereços, telefones e outros. Fora isso, dados financeiros das forças armadas dos EUA já estão se espalhando pela web.

Logo em seguida, o comando central suspendeu as duas contas, ficando, portanto, fora do YouTube e do Twitter. Antes disso, entretanto, mensagens de simpatia aos extremistas islâmicos ficaram disponíveis nessas duas páginas. No YouTube, especialmente, vídeos de propaganda terrorista estiveram no ar por algum tempo.

Ameaça

Entre as mensagens publicadas no Twitter e no YouTube do Comando Central estava a carta a seguir:

Soldados americanos, nós estamos chegando. Fiquem de olho. ISIS #CyberCaliphate

Em nome de Alá, o mais gracioso, o mais piedoso, o CyberCaliphate, sob os auspícios do ISIS (Estado Islâmico do Iraque e da Síria na sigla em inglês) continua sua CyberJihad. Enquanto os EUA e seus satélites matam nossos irmãos na Síria, Iraque e Afeganistão, nós invadimos suas redes e dispositivos pessoais e descobrimos tudo sobre vocês.

Vocês não terão piedade, infiés. O ISIS já está aqui, nós estamos em seus PCs, em cada base militar. Com a permissão de Alá, nós estamos no Comando Central agora.

Nós não vamos parar! Nós sabemos tudo sobre vocês, suas esposas e filhos.

Soldados dos EUA! Nós estamos observando vocês!

Até o momento, não há nenhum pronunciamento oficial dos EUA a respeito do ataque ou qualquer confirmação de que os hackers do CyberCaliphate de fato invadiram seus sistemas internos. As contas nas duas redes sociais, entretanto, foram admitidamente dominadas e, agora, estão suspensas.

Cupons de desconto TecMundo: