A notícia de que fotos íntimas da atriz Emma Watson seriam divulgadas na meia-noite de hoje deu o que falar. O vazamento dessas imagens se juntaria aos dois fatídicos acontecimentos que ocorreram nos últimos dias e que expuseram a intimidade de uma série de atrizes famosas. No entanto, o episódio que teria um novo capítulo na virada do dia acabou tendo um final bastante surpreendente.

Tudo, na realidade, não passou de uma campanha de marketing que preconiza o fechamento do 4Chan. O site em questão funciona como uma espécie de fórum de imagens que são, na maioria das vezes, postadas anonimamente. O ponto alto da campanha, organizada pela empresa de marketing Rantic, foi o redirecionamento da página ironicamente intitulada de “Emma You Are Next” para o site que iniciou e apoia a iniciativa.

Neste site para onde os internautas são redirecionados, há o destaque para os seguintes dizeres: “Junte-se a nós no desligamento do 4chan para que o vazamento de mais fotos íntimas não aconteça. Nenhuma dessas mulheres merece isso e juntos podemos fazer uma mudança”.

Também é mostrado um trevo de quatro folhas (símbolo do 4chan) com um símbolo que reforça a iniciativa da campanha. Além disso, dados de acesso à página que supostamente vazaria as fotos também são divulgados: segundo o site, a página “emmayouarenext.com” recebeu 48 milhões de visitantes, 7 milhões de compartilhamentos e likes no Facebook e 3 milhões de menções no Twitter.

A empreitada também conta com uma carta direcionada a ninguém menos que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e pede o apoio do político na censura da internet e fechamento do 4chan. Lê-se na carta presente no site:

“Fomos contratados por publicitários de celebridades para trazer à tona este assunto nojento. Os recentes vazamentos de fotos íntimas no site 4chan representa uma invasão à privacidade e é uma indicação clara de que a internet PRECISA ser censurada. Cada Like e Compartilhamento no Facebook e menções no Twitter vão contar como uma assinatura e serão um passo a mais para o fechamento do site www.4chan.org”.

Especulações por trás disso tudo

Apesar da aparente “boa intenção” da Rantic, empresa de marketing por trás de todo esse episódio, há aqueles que mencionam que esse “viral” não passou de uma campanha para promover a própria companhia. O pretexto, visivelmente, funcionou muito bem, já que as páginas atingiram um número monstruoso de visitações e ações envolvendo as redes sociais.

A ausência de créditos para o apoio de celebridades, erros gramaticais em algumas frases e a falta de polidez ao se direcionar ao presidente dos Estados Unidos são os principais argumentos apontados pelo site The Verge. Além disso, um tweet da Rantic enaltecendo a sua capacidade de espalhar um viral dá a entender que tudo não passou de um movimento para promover suas capacidades no meio da publicidade e marketing.

Portanto, no final das contas, tudo não passou de uma campanha de marketing que luta pelos direitos dessas mulheres que, com certeza, não merecem ter a sua privacidade e intimidade reveladas. Agora, resta-nos saber como o público e outras celebridades reagirão diante desse resultado.

Apesar das possíveis motivações da Rantic por trás dessa campanha, é certo dizer que ela conseguiu alcançar um número surpreendente de pessoas. Ficaremos de olho nos próximos episódios dessa “série” que não está com cara de que vai terminar tão cedo.

Cupons de desconto TecMundo: