(Fonte da imagem: Reprodução/The Age)

A tentativa de um jovem australiano de 16 anos de ajudar o governo local acabou gerando prejuízos a ele quando um jornal foi envolvido no assunto. Logo após o Natal de 2013, Joshua Rogers detectou que uma vulnerabilidade do site do departamento de transportes permitia acessar um banco de dados contendo nomes, números de cartão de crédito, endereços residenciais, emails, números de telefone e datas de nascimento de 600 mil pessoas.

Rogers tentou entrar em contato com as autoridades, mas, diante da falta de uma resposta, comunicou o problema à Fairfax Media. Logo após os editores da publicação entrarem em contato com o departamento de transporte para obter um comentário sobre o assunto, o jovem foi denunciado à polícia por realizar atividades consideradas criminosas.

“A Polícia de Victoria recebeu uma denúncia da Public Transport Victoria relacionada a um acesso não autorizado de sua rede. Como o assunto atualmente está sob investigação não podemos realizar nenhum comentário sobre ele”, afirmou um porta-voz da autoridade policial local.

Empresa falhou ao não se proteger

Phil Kernick, da empresa de consultoria em segurança cibernética CQR, afirmou que é evidente que Joshua cometeu um crime com suas ações. No entanto, embora ele reconheça que o jovem tenha errado ao acessar o site da companhia de transporte sem autorização, isso não ameniza o fato da instituição ter falhado em proteger os dados pessoais de seus usuários.

“Embora Rogers não tivesse a autorização da Public Transport Victoria para fazer esse teste, ele não disponibilizou os dados dos usuários, foi a empresa que fez isso”, afirmou Kernick ao The Age. “Todo mundo está sendo atacado o tempo todo, então, se o seu site não vai sobreviver a esse tipo de ataque, você vai ser vencido”, complementa.

Cupons de desconto TecMundo: