Steam e Origin passaram a figurar entre os sites/serviços online de grande porte que têm sido alvo de ataques de hackers. Ambos os serviços se tornaram instáveis ontem, após uma investida conhecida como DDoD — ou “ataque de negação de serviço”, cujo modus operandi consiste em uma sobrecarga de fonte externa. Como resultado, os usuários acabam não conseguindo utilizar todos os serviços de forma efetiva.

No que se refere ao Origin, o “atentado” foi assumido via Twitter pelo grupo denominado DERP. Trata-se do mesmo grupo responsável pela queda do site EA.com no início desta semana, bem como pelos ataques ao Battle.net, da Blizzard.

(Fonte da imagem: Reprodução/Twitter (@DerpTrolling))

Posteriormente, tanto este quanto o Steam ficaram completamente offline, com usuários recebendo mensagens de erro sempre que tentavam acessar suas contas. Também os desenvolvedores de jogos têm experimentado problemas na hora de acessar os fóruns ou compartilhar novos jogos online. Dessa vez, entretanto, o ataque foi assumido por outros usuários do Twitter.

Embora nem a Valve e nem a Blizzard tenham se pronunciado até o momento acerca dos ataques, a EA garante que está “trabalhando para resolver os problemas de login/conectividade que têm afetado diversas plataformas/jogos”. Os ataques DDoS têm se tornado um problema cada vez mais constante atualmente, tendo já afetado diversos sites — incluindo o EVE Online e o Dust 514, logo no início do ano.

Sites abaixo... E uma casa invadida pela polícia!

Ao que parece, os vários sites atacados pelo grupo (ou sujeito) autointitulado DERP tiveram um estopim bastante particular. Conforme reportou o site Kotaku, os hackers teriam deliberadamente mirado em todos os jogos online comumente abordados pelo conhecido Phantoml0rd — uma espécie de celebridade streamer do site Twitch.

Mas a coisa pode ter ido além. De acordo com Phantoml0rd, um carro de polícia chegou à sua casa, anunciando que se tratava de denúncia sobre uma “situação com reféns”: “Eu fiquei com uma [pistola] automática apontada para mim, colocado em algemas e precisei ficar sentado no banco de trás de uma viatura enquanto assistia a seis policiais vasculharem toda a minha casa”, disse o sujeito em sua página no Facebook.

(Fonte da imagem: Reprodução/YouTube (PhantomL0rd))

Ao que parece, o endereço do sujeito pode ter sido passado para polícia a título de “pegadinha” — embora, até o momento, o DERP não tenha se pronunciado sobre o ocorrido. De fato, uma postagem há seis horas diz que “por mais que a sua atenção e a sua irritação nos agradem, se não foi postado, não fomos nós”.

Via BJ

Cupons de desconto TecMundo: